A Arte da Omissao

Em nome do terrorismo – Operação Northwoods

Northwoods foi o nome de código dado a um conjunto de planos secretos, elaborados em 1960 por  altas patentes militares dos EUA. Pretendia-se assassinar pessoas inocentes e praticar actos de terrorismo em cidades americanas, com o objectivo de iludir a opinião pública americana de forma a que esta, indignada, apoiasse uma guerra contra Cuba. 

Estes planos incluíam também o possível assassinato de refugiados cubanos, o afundamento de barcos de refugiados cubanos em alto mar, o sequestro de aviões comerciais, a explosão de um navio americano e até a orquestração de terrorismo violento em cidades norte-americanas

Em Março de 1962, os planos foram apresentados ao secretário de defesa Robert McNamara. Aparentemente foram rejeitados pelos governantes civis  e permaneceram desconhecidos por quase 40 anos.

Estava prevista a encenação de uma série de falsos ataques terroristas, alguns dos quais em solo americano,  envolvendo a morte de civis, cujas culpas seriam então atribuídos a Fidel Castro.  Um dos cenários propostos envolvia a simulação dum sequestro e de uma explosão de um avião comercial norteamericano. 

Anúncios

2 comments on “Em nome do terrorismo – Operação Northwoods

  1. Pingback: Ouro – o céu é o limite | A Arte da Omissao

  2. Pingback: Serviços secretos paralelos – 3ª Parte « A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: