A Arte da Omissao

ACORDEM

Armas silenciosas para guerras silenciosas (4)

Silent Weapons for QuietWars  (tradução de excertos)

(4)

Links dentro de «» e realces desta cor são da minha responsabilidade

ligne-rouge

INTRODUÇÃO DESCRITIVA DA ARMA SILENCIOSA

Tudo o que é esperado de uma arma comum,  pode ser esperado pelos criadores de uma arma silenciosa, mas apenas no seu próprio modo de funcionamento.

* dispara situações em vez de balas;

* situações  impulsionadas por processamento de dados em vez por reacção química (explosão);

* situações provenientes de bits de dados em vez de grãos de pólvora;

* situações disparadas a partir de um computador em vez de uma arma;

* situações disparadas a partir de um computador operado por um programador em vez de um atirador;

* situações disparadas a partir de um computador operado por um programador sob as ordens de um magnata bancário em vez de um general militar.

Não produz ruídos explosivos óbvios, não causa lesões físicas ou mentais óbvias e obviamente não interfere na vida social diária de ninguém.

No entanto, produz um “ruído” inconfundível, causa danos físicos e mentais inconfundíveis e interfere inconfundivelmente na vida social quotidiana, isto é, inconfundível para um observador treinado, alguém que sabe o que procurar.

O público não pode compreender esta arma, e portanto, não acredita que está a ser atacado e subjugado por uma.

O público pode instintivamente sentir que alguma coisa está errada, mas tal deve-se à natureza técnica da arma silenciosa, não pode expressar os seus sentimentos de uma forma racional, ou lidar com o problema com inteligência. Logo, não sabe como pedir ajuda nem associar-se a outros para se defender delas.

Quando uma arma silenciosa é gradualmente aplicada, o público ajusta-se / adapta-se à sua presença e aprende a tolerar a sua intrusão na sua vida até que a pressão (psicológica pela via económica) se torne grande demais e colapse.

Assim, uma arma silenciosa é um tipo de guerra biológica. Ataca a vitalidade, opções e mobilidade dos indivíduos numa sociedade, através do conhecimento, entendimento, manipulação, e com o ataque às suas fontes de energia natural e social, às suas forças físicas, mentais e emocionais e às suas fraquezas.

1 2 3 4 5 6  8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

Portanto, a arma silenciosa é um tipo de guerra biológica.
Ele ataca a vitalidade, opções e mobilidade dos indivíduos de uma sociedade por conhecer, compreender, manipular e atacando suas fontes de naturais e sociais de energia e r thei física, mentais e emocionais forças e fraquezas.
Therefore, the silent weapon is a type of biological warfare.
It attacks the vitality, options, and mobility of the individuals of a society by knowing, understanding, manipulating, and attacking their sources of natural and social energy, and thei r physical, mental, and emotional strengths and weaknesses.

26 comments on “Armas silenciosas para guerras silenciosas (4)

  1. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (3) – Bilderberg « A Arte da Omissao

  2. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas – Bilderberg | A Arte da Omissao

  3. Pingback: Armas silenciosas paras guerras silenciosas (1) | A Arte da Omissao

  4. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (2) | A Arte da Omissao

  5. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (20) | A Arte da Omissao

  6. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (19) | A Arte da Omissao

  7. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (5) | A Arte da Omissao

  8. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (6) | A Arte da Omissao

  9. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (7) | A Arte da Omissao

  10. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (8) | A Arte da Omissao

  11. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (10) | A Arte da Omissao

  12. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (11) | A Arte da Omissao

  13. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (12) | A Arte da Omissao

  14. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (13) | A Arte da Omissao

  15. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (14) | A Arte da Omissao

  16. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (15) | A Arte da Omissao

  17. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (16) | A Arte da Omissao

  18. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (17) | A Arte da Omissao

  19. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (18) | A Arte da Omissao

  20. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (9) | A Arte da Omissao

  21. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (11) | A Arte da Omissao

  22. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (13) | A Arte da Omissao

  23. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (14) | A Arte da Omissao

  24. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (15) | A Arte da Omissao

  25. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (16) | A Arte da Omissao

  26. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (17) | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 28 de Novembro de 2010 by in Armas silenciosas para guerras silenciosas and tagged , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: