A Arte da Omissao

Armas silenciosas para guerras silenciosas (20)

Silent Weapons for QuietWars

Encontrado a 7 de Julho de 1986 numa fotocopiadora IBM comprada num leilão militar. Este documento estava na  posse dos serviços secretos  da Marinha Americana.

Negligência ou fuga intencional, este documento por segurança, não tem a marca ou logótipo da organização de onde provém. Mas recortes de informações e datas, deixam supor que se trata do grupo Bilderberg.
O clube Bilderberg pode ser considerado como  um clube  de “reflexão” que reúne as pessoas mais poderosas dos mundos financeiros, económicos, das forças militares, serviços secretos, alimentar, saúde.. . 

##############

Bomba Artificial

Logo que uma pessoa deixa o ventre de sua mãe, os seus esforços são direccionados para a  construção, manutenção e retirada para outros úteros artificiais, vários tipos de dispositivos de protecção substitutos ou reservatórios.

Estes ventres artificiais destinam-se fornecer um ambiente estável para actividades estáveis e instáveis;  para fornecer um abrigo para os processos evolutivos de crescimento e maturidade – ou seja, sobrevivência; para fornecer segurança para o uso da liberdade e protecção  defensiva  para a actividade ofensiva.

Isto é igualmente válido para o público em geral e a elite. No entanto, há uma diferença definitiva na forma como cada uma destas classes procurar  a solução dos problemas.

A ESTRUTURA POLÍTICA DE UMA NAÇÃO – DEPENDÊNCIA

A principal razão pela qual cada cidadão de um país cria uma estrutura política, é o desejo subconsciente ou desejo de perpetuar a sua própria relação de dependência da infância. Por outras palavras, eles querem um deus humano para eliminar todos os riscos de sua vida, que lhes afague a cabeça, que beije as suas feridas, que lhes coloque uma galinha na mesa de jantar, que vista seus corpos, que os leve para a cama à noite e que lhes diga que tudo ficará bem quando  acordarem de manhã.

Essa demanda pública é incrível, de tal forma que o deus humano, o político, atende a incredibilidade com a incredibilidade,  ao prometer ao mundo e entregar nada. Afinal, quem é o maior mentiroso? o público? ou o “padrinho”?

Esse comportamento publico é rendição nascida do medo, da preguiça e da conveniência. Esta é a base do estado de bem-estar, como arma estratégica, útil contra um publico nojento.

ACÇÃO/OFENSA

A maioria das pessoas quer ser capaz de subjugar e/ou matar outros seres humanos que perturbem o seu quotidiano, mas não querem ter que lidar com as questões morais e religiosas que tal ato evidente da sua parte poderia levantar. Portanto, eles atribuem o trabalho sujo para outros (incluindo seus próprios filhos), a fim de manter o sangue fora de suas mãos. Criticam o tratamento humano aos animais e, em seguida, sentam-se para um delicioso hambúrguer. Pagam impostos para financiar uma associação profissional de pistoleiros colectivamente chamados de políticos e queixam-se, em seguida, da corrupção no governo.

RESPONSABILIDADE

Mais uma vez, a maioria das pessoas quer ser livre para fazer coisas (para explorar, etc.), mas tem medo de falhar. O medo do fracasso manifesta-se em irresponsabilidade e, especialmente quando delegam as responsabilidades pessoais a outros onde o sucesso é incerto. Querem autoridade, mas não aceitam responsabilidades ou obrigações. Então contratam os políticos para encararem a realidade para eles.

RESUMO

As pessoas contratam os políticos para que possam: (1) obter segurança sem a gerirem  (2) obter acção sem pensar nela  (3) infligir roubo, ferimentos e morte aos outros sem a necessidade de contemplarem a vida ou morte (4) evitar  a responsabilidade das  suas próprias intenções (5) obter os benefícios da realidade e da ciência.

Eles dão os políticos o poder para criar e gerir uma máquina de guerra: (1) para fornecer  a sobrevivência da nação/útero  (2) impedir a invasão de qualquer coisa sobre o nação/útero  (3) destruir o inimigo que ameace o nação/útero (4) destruição dos cidadãos do seu país que não se conformem com  a estabilidade da nação/útero

Os políticos mantêm muitos postos de trabalho quase militares, sendo o mais baixo a polícia que basicamente são soldados. Seguem-se os advogados e C.P.A.s  que são espiões e sabotadores (licenciados) e por fim os juízes que gritam ordens. Os generais são industriais.  O nível “presidencial” do comandante-chefe é partilhado pelos banqueiros internacionais. As pessoas sabem que eles criaram esta farsa mas financiam-nos com os seus próprios impostos (consentimento). Assim, uma nação fica dividida em duas partes muito distintas, uma sub-nação dócil [grande maioria silenciosa] e um sub-nação política. O sub-nação  política continua conectada  à sub-nação  dócil, tolera-a  até que cresce forte o suficiente para se separar e, de seguida, devorar seu pai.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

20 comments on “Armas silenciosas para guerras silenciosas (20)

  1. chatice tuga
    5 de Maio de 2011

    Para o caso de ainda não terem ouvido esta entrevista de Leuren Moret sobre a Google. Incrível!!!
    http://www.youtube.com/view_play_list?p=9AEE26FBFF69BF1D

    Gostar

  2. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (19) – Bilderberg « A Arte da Omissao

  3. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas – Bilderberg | A Arte da Omissao

  4. Pingback: Armas silenciosas paras guerras silenciosas (1) | A Arte da Omissao

  5. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (2) | A Arte da Omissao

  6. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (3) | A Arte da Omissao

  7. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (4) | A Arte da Omissao

  8. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (5) | A Arte da Omissao

  9. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (6) | A Arte da Omissao

  10. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (7) | A Arte da Omissao

  11. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (8) | A Arte da Omissao

  12. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (10) | A Arte da Omissao

  13. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (11) | A Arte da Omissao

  14. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (12) | A Arte da Omissao

  15. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (13) | A Arte da Omissao

  16. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (14) | A Arte da Omissao

  17. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (15) | A Arte da Omissao

  18. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (16) | A Arte da Omissao

  19. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (17) | A Arte da Omissao

  20. Pingback: Armas silenciosas para guerras silenciosas (18) | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 31 de Janeiro de 2011 by in Bilderberg - Armas silenciosas para guerras silenciosas and tagged , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: