A Arte da Omissao

ACORDEM

UFO – Project Disclosure – Dossier de Divulgação – O Desconhecimento (3ª Parte)

Devido à natureza da informação contida na secção nº 3.4 do Disclosure Project, ao contrário dos anteriores artigos, onde coloquei apenas excertos, a tradução desta secção é  na totalidade

Dossiê  de divulgação do Projecto Disclosure, tornado publico em 2001

3.4 O Desconhecimento (3ª Parte)

E o tempo foi passando. Algumas reuniões foram organizadas por amigos e contactos pessoais. Ironicamente, esses líderes estavam a voltar-se para nós para obterem informações, análises e, estranhamente,  para obterem informações sobre essa bagunça secreta. Sou apenas um médico rural da Carolina do Norte, com uma mulher, quatro filhos, uma minivan e um golden retriever e não alterei esta realidade. Assim no meu tempo ‘extra”, eu fiz o que eu pude.

UNACKNOWLEDGED SPECIAL ACCESS PROJECTS  (NÃO RECONHECIDO ACESSO  ESPECIAL A PROJECTOS). USAP. Este termo — conceito, realmente levou algum tempo para tomar forma. Chamem-me ingénuo, mas eu acredito na democracia e na Constituição, no gabinete do Presidente, na importância de um Congresso e assim por diante. Mas tais noções singulares, em algum momento tinham que ser assimiladas pela minha mente e esta tinha que se reconciliar com esta nova realidade: que Presidentes,  Congresso, tribunais, Nações Unidas e todo os outros líderes do mundo existem. Eles preocupam-se com impostos, dinheiro, programas deste tipo ou de outro. Mas o material realmente  importante – fica de fora. Afinal, estas pessoas vêm e vão a cada 2 ou 4 anos. O que  não sabem não os aleija. Além disso, estamos a fazer-lhes um favor, mantendo-os inocentes de qualquer conhecimento destes projectos secretos. De qualquer forma, os projectos são desconhecidos  e realmente não existem de todo.

O que é  USAP? É um projecto “top secret”, compartimentado, que exige um acesso especial, mesmo para aqueles que têm um nível de sigilo “top secret”.  E isto não é conhecido. Significa que se alguém – qualquer um – incluindo seus superiores, incluindo o comandante e chefe, o Presidente, lhe perguntar sobre o projecto, você responde que tal não existe. Você vai mentir. As pessoas nestes USAPS, têm que manter o seu projecto em segredo e farão tudo para manter a história coberta assim como manter os outros funcionários e o público desinformado.  E o grande pai de todos os USAPS é o assunto UFO/ET.

Lembram-se do documento canadiano “top secret” escrito por Wilbert Smith em 1950, no qual  ele afirmava que tinha descoberto que um grupo secreto dos EUA estava a trabalhar sobre o assunto UFO, incluindo a tecnologia por dele, e que  se tratava da empresa mais secreta nos governos dos EUA, excedendo mesmo o sigilo  que existiu em torno do desenvolvimento da bomba H.

Agora imagine que vem com este este projecto, 50 anos mais tarde. Muita água passou debaixo da ponte. Foram  50 anos e incontáveis biliões gastos em vários aspectos do projecto: descobrir como funcioana a tecnologia extraterrestre; experiências com propulsão linear e sistemas de comunicações; gastos na desinformação pública maciça e na fraude dos funcionários constitucionalmente eleitos e nomeados assim como outros organismos; e muito mais….

A adicionar a esta desinformação activa — o engodo ou a simulação de eventos ET falsos, para enganar o público e servir como chamariz, de forma a que as atenções se afastem da acção  real. Sequestros. Mutilações. Bebés híbridos a flutuar no espaço e em bases subterrâneas. Pactos secretos entre um mundo e suas forças governamentais com os alienígenas sinistros. E assim por diante. Infelizmente, consegue-se que os tablóides, editoras de livros, a subcultura UFO/indústria e o público em geral se alimentem deste material.

Este absurdo não serve só de chamariz eficaz para a subcultura UFO civil pouco profissional, como cria a loucura e o falso brilho necessários para manter os cientistas “respeitáveis”, os media e funcionários públicos calados. Mantém-se assim toda a questão com segurança fora das suas telas de radar.

Desde meados de 1940 até final dos anos 50, enquanto estas questões continuavam, o grupo secreto era pouco convencional. Vários oficiais das administrações Truman e Eisenhower sabiam sobre o que tratava  e nele estavam envolvidos. Era verdadeiramente sentido, o ser imperativo para a segurança nacional, que este assunto se mantivesse em silêncio por um tempo. E eu acredito que eles estavam agindo de boa-fé, dentro dos limites razoáveis da nossa democracia constitucional.

Mas durante os anos finais de Eisenhower, um padrão foi desenvolvido para aqueles que legalmente deviam estar por dentro mas foram empurrados para fora. Temos mais de que uma fonte que corroborou que este padrão ocorreu  nos últimos anos de Eisenhower e a administração Kennedy.

O primeiro grupo de testemunhas disse que Eisenhower ficou furioso, por estar a ser mantido no escuro, acerca de vários aspectos importantes da questão UFO/ET.

Ele viu naves Et’s e seus tripulantes, até sabe que estavam em curso projectos extraordinários, mas estava a ser colocado para fora. É de admirar então que, não obstante o facto de ser um general de cinco estrelas e republicano conservador,  tenha alertado para o ” military-industrial complex “, no seu último discurso à nação como Presidente? As pessoas esquecem que foi este general de cinco estrelas — e não Abby Hoffman — que cunhou o termo “military-industrial complex”, primeiro advertindo-nos dos perigos dos seus excessos. Por que? Porque ele os viu de perto e em 1ª mão.

Avanço rápido para Junho de 1963. Kennedy está a voar para Berlim para entregar seu famoso discurso proclamando, “Eu sou um Berlinense”. A bordo do “Air Force One”, está um homem militar que relata o seguinte: Kennedy, no longo voo, a uma certa altura começou a discutir o assunto UFO com este oficial militar. Admitiu que sabia que os OVNIs eram reais, tinha visto as provas, mas, em seguida, surpreendeu o oficial, afirmando que “toda a questão está fora das minhas mãos, e eu não sei porque…” Kennedy disse que queria que a verdade saísse, mas que ele não o poderia fazer.  Estamos a falar do Presidente dos Estados Unidos, o comandante-chefe das forças armadas, afirmando que a questão está fora de suas mãos, e que não sabe o porquê.  Como gostaria de saber se conseguiu descobriu alguma coisa antes do seu assassinato mais tarde nesse ano.

Eisenhower, Kennedy, figuras da administração Clinton, líderes militares, líderes de inteligência, líderes estrangeiros. Tudo do lado de fora. Mas todos sabemos que é real. O que está a acontecer?

Os USAPS são apenas parte da história. A parte menor. Lembram o aviso de Eisenhower acerca do complexo militar-industrial? Palavra-chave: industrial, privada, privatizada. Ao debater este assunto com um antigo chefe do Ministério da Defesa da Grã-Bretanha em Julho de 1995, descobri que também ele foi mantido à parte. Mais uma vez, descobrimos que as coisas realmente secretas foram mantidas à parte, mesmo do homem que foi o chefe do MI5 e Ministro da Defesa. A resposta residia em parte nos USAPS, mas mais, em contractos com entidades privadas.

O governo Americano não construiu quase nada (graças a Deus…). O bombardeiro Stealth B2 não foi construído pelo governo dos Estados Unidos, mas para o governo dos Estados Unidos, pela indústria privada. E essa indústria privada, mantém segredos ainda melhor do que os USAPS. Faz sentido: após todos estes anos, ninguém sabe a fórmula da Coca-Cola. Nem mesmo o Presidente dos Estados Unidos a pode obter. A fórmula é secreta e privada.

Agora, se combinar o poder proprietário dos segredos privados com uma ligação combinada com USAPS, constrói uma fortaleza secreta que é praticamente impenetrável.

 

Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5

4 comments on “UFO – Project Disclosure – Dossier de Divulgação – O Desconhecimento (3ª Parte)

  1. Pingback: UFO – Project Disclosure – Dossier de Divulgação – O Desconhecimento (1ª Parte) | A Arte da Omissao

  2. Pingback: UFO – Project Disclosure – Dossier de Divulgação – O Desconhecimento (2ª Parte) | A Arte da Omissao

  3. Pingback: UFO – Project Disclosure – Dossier de Divulgação – O Desconhecimento (4ª Parte) | A Arte da Omissao

  4. Pingback: Project Disclosure – Dossier de Divulgação – O Desconhecimento (5ª Parte) | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 10 de Março de 2011 by in Disclosure Project and tagged , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: