A Arte da Omissao

Os exércitos secretos da NATO (3)

PREFÁCIO (Cont.)

“Provas reveladas em inquéritos parlamentares, em investigações, fontes documentais, ensaios e entrevistas a indivíduos, Ganser monitoriza a revelação da Gladio em muitos países e preenche o vazio sobre o que estas redes realmente fizeram. Muitas das suas realizações foram de facto antidemocráticas, ao colocarem em causa o próprio tecido das sociedades donde eram oriundos e que deveriam proteger. A pesquisa de Ganser, ao colocar os registos de diferentes nações lado a lado, mostra um processo comum. Ou seja, as redes criadas para estarem “em repouso”, tornam-se activistas em causas políticas como regra e não como uma excepção.

Profunda como tem sido a investigação de Dr. Ganser, há um lado da história de Gladio que não se consegue revelar. Trata-se dos propósitos das acções da CIA, MI6 e outros serviços de inteligência. Devido por exemplo, ao sigilo dos registos do governo no Estados Unidos, não é ainda possível esboçar detalhadamente as ordens da CIA para as suas redes, pois poderia ser evidenciada se é deliberada ou não a interferência em processos políticos nos países onde as redes Gladio estavam activas. Estão a ser feitos verdadeiros esforços pelos agentes Gladio mas as ordens de seus controladores permanecem nas sombras, portanto, não é ainda possível medir o papel dos EUA nos anos da guerra fria. O mesmo é verdadeiro com a MI6 da Grã-Bretanha e com  a segurança de outros serviços espalhados por aí.

No mínimo, os registos de Dr. Ganser mostram recursos criados para serem uma resposta directa aos propósitos da guerra fria, A liberdade de informação dos Estados Unidos fornece uma avenida para abrir documentos do governo. mas esse processo é extremamente lento e sujeito a muitas isenções, uma das quais se destina precisamente para proteger os registos de actividades deste tipo.  O Reino Unido tem uma regra, que libera documentos depois de um certo número de anos, mas é necessário um intervalo mais longo para documentos deste tipo, e são permitidas excepções ao governo quando os documentos são finalmente liberados para o público.

As auto-estradas da informação são apenas um caminho quando se trata de lançar luz sobre a verdade das redes Gladio.

Nesta era de preocupação global com o terrorismo é especialmente perturbador descobrir que a Europa Ocidental e os Estados Unidos colaboraram na criação de redes para assumirem o terrorismo. Nos Estados Unidos, essas nações são chamadas ‘patrocinadores de estado’ e são o objecto da hostilidade e da sanção. Será possível que os próprios Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Itália e outros, estão na lista dos patrocinadores do Estado? A história de Gladio tem que ser relatada na totalidade, de forma a estabelecer a verdade sobre o assunto. Daniele Ganser, desencadeou o primeiro e crítico passo, ao longo deste caminho. Este livro deve ser lido para que descubra os contornos gerais da Gladio e para começar a valorizar a importância das respostas finais que ainda estão a faltar.”

John Prados
Washington, DC

Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5 

4 comments on “Os exércitos secretos da NATO (3)

  1. Pingback: 2) Os exércitos secretos da NATO « A Arte da Omissao

  2. Pingback: 4) Os exércitos secretos da NATO « A Arte da Omissao

  3. Pingback: 5) Os exércitos secretos da NATO « A Arte da Omissao

  4. Pingback: Os exércitos secretos da NATO (1) | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 19 de Maio de 2011 by in Nato and tagged , , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: