A Arte da Omissao

ACORDEM

Protestos exigem o encerramento de Guantánamo

Não estava nos planos dos Estados Unidos que fosse descoberto o uso do campo de prisioneiros da Baía de Guantánamo, em Cuba.

O Mundo deve agradecer esta horrenda mas necessária exposição ao portal Wikileaks quando divulgou cerca de  759 documentos secretos do Pentágono.

De acordo com os documentos oficiais vazados pelo Wikileaks, na prisão de Guantánamo, os EUA “criaram um sistema policial e penal sem garantias no qual só importavam duas questões: quanta informação se obteria dos presos, embora fossem inocentes, e se podiam ser perigosos no futuro”, acrescenta o jornal em sua página na internet. O El Pais assinala que teve acesso junto com outros meios internacionais, através do Wikileaks, “às fichas militares secretas de 759 dos 779 presos que passaram pela prisão, dos quais cerca de 170 continuam detidos”

http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/wikileaks-revela-abusos-em-prisao-de-guantanamo

Nota: No vídeo seguinte, podem ativar as legendas em Português, clicando no CC, escolher “traduzir legendas Beta” e por fim na lista dos idiomas escolher Português.

######################

Obama, para cativar corações, prometeu em 2009 o seu encerramento e como se previa, falhou redondamente. Neste momento, este mesmo campo de tortura, continua a ser arma de campanha para os que se engalfinham na batalha entre os pré-candidatos à poltrona presidencial Americana.

No entanto, os planos são outros. O plano da marioneta Obama não é fechá-la mas sim estendê-la ao território americano.

Tradução de um artigo escrito em 12 de Dezembro de 2011, por dois ex-comandantes do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha americana, os generais da reserva Charles C. Krulak e Joseph P. Hoar. http://www.nytimes.com/2011/12/13/opinion/guantanamo-forever.html

Guantánamo Para Sempre?

No seu discurso inaugural, Presidente Obama exortou-nos a “rejeitar como falsa a escolha entre os nossos ideais e a nossa segurança”. Estamos de acordo. Agora, para proteger ambas, ele deve vetar o projeto lei National Defense Authorization, que o Congresso espera passar esta semana. 

Este projeto de lei orçamental – que pode ser vetada sem cortar o financiamento para as nossas tropas – é um equivoco e desnecessário: o Presidente já tem o poder e a flexibilidade para lutar eficazmente contra o terrorismo. 

Este projeto lei pretende:

1) Autorizar os militares a deterem indefinidamente e sem acusação, pessoas suspeitas de envolvimento com o terrorismo, incluindo cidadãos de Estados Unidos que sejam detidos em solo americano. Para alguns, o objetivo é meramente codificar uma prática já existente. A atual lei já capacita os militares a deterem pessoas capturadas no campo de batalha, mas esta disposição iria ampliar o campo de batalha de forma a incluir os Estados Unidos. 

2) dar autorização de detenção militar para a maioria dos suspeitos de terrorismo, viola não só o espírito da lei post-Reconstruction, ao limitar o uso das forças armadas na aplicação da lei internamente, mas também a nossa confiança com os membros do serviço, que se alistam a acreditar que nunca serão convidados a apontar suas armas para colegas americanos. Seria pôr de lado o trabalho do F.B.I e das agências policiais locais na luta contra o terrorismo interno. Estas agências têm recolhido informação inestimável, porque o sistema de Justiça penal — ao contrário das detenções militares indefinidas — incentiva os suspeitos a cooperar.

A detenção militar obrigatória iria reduzir se não eliminar mesmo, o papel dos tribunais federais em casos de terrorismo. Desde 9/11, as comissões militares instáveis e não testadas, condenaram  apenas seis pessoas por acusações relacionadas com terrorismo, em comparação com mais de 400 em tribunais civis

3) Ampliar ainda mais a proibição de transferências de Guantánamo, garantindo assim que este símbolo de abuso de detenção, financeiramente dispendioso, permanecerá aberto no futuro. Poderia ser quase impossível transferir os 88 homens (dos 171 ainda presos lá) prontos para serem libertados. Temos que fechar Guantánamo, não estende-la. 

Artigos relacionados:

Da América para Amerika: O jogo final

Obama assina lei de defesa

Comentários desta cor e sublinhados são da minha responsabilidade.

One comment on “Protestos exigem o encerramento de Guantánamo

  1. Pingback: Ron Paul Versus Obama – as grandes 10 diferenças « A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 14 de Janeiro de 2012 by in Em nome do Terrorismo, USA and tagged , , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: