A Arte da Omissao

A história dos Rothschild – Parte 4

 

Continuação da linha do tempo:(1815)

Os Rothschilds também utilizaram o controle do Banco da Inglaterra para substituir o método de transporte do ouro de país em país. Passaram a usar os seus bancos espalhados por toda a Europa e estabeleceram um sistema de débitos e créditos em papel:  o sistema bancário de hoje.  Até o final deste século, decorre o período de tempo conhecido como, “Age of the Rothschilds / Era dos Rothschilds” e estima-se que a família controlou metade da riqueza do mundo.

Muitos governos europeus estavam em dívida com os Rothschilds. Percebi então, que eles poderiam usar essa realidade como uma ferramenta de negociação. No entanto o czar Alexandre I da Rússia, que não “sucumbiu” a nenhum banco central de Rothschild, não iria pertencer a essa lista, fazendo fracassar o plano de governação do mundo. Enfurecido, Nathan Mayer Rothschild jurou, que um dia ele ou seus descendentes destruiriam Czar Alexander I, toda a sua família e descendentes. Infelizmente foi fiel à sua palavra e passados 102 anos, Rothschild financiou os Bolcheviques. (se este financiamento não tivesse ocorrido, talvez não tivessem chegado ao poder durante a Revolução Russa de 1917, talvez não existisse o Partido Comunista da União Soviética  e talvez não tivesse existido a guerra  fria….)

Curiosamente, o fanático do governo mundial e judeu Ashkenazi, Henry Kissinger, fez a sua dissertação de doutoramento no Congresso de Viena.

1816: O Congresso americano passa um projecto de lei que permite mais um banco central Rothschild, dando de novo à família  o controlo do fornecimento da moeda americana. Este foi chamado de Second Bank of the United States / Segundo Banco dos Estados Unidos. No final da guerra inglesa contra a América, milhares de soldados britânicos e americanos morreram, mas os Rothschilds obtêm seu banco. (Já naquele tempo o congresso americano se deixava “comprar”)

1818: Logo a seguir aos empréstimos de garantias dos franceses em 1817 para os ajudar na reconstrução, após a sua desastrosa derrota na Batalha de Waterloo, alguns agentes de Rothschild compraram grandes quantidades de títulos do Governo Francês, fazendo-os aumentar de valor.  A 5 de Novembro, eles despejaram o lote em mercado aberto, fazendo com que o seu valor despencasse e a França entrou em pânico financeiro. Os Rothschilds intervieram de seguida e  assumiram o controle da oferta de dinheiro francês. Isto ocorre no mesmo ano que os Rothschilds foram capazes de emprestar £ 5.000.000 ao Governo da Prússia.

1821: Kalmann (Carl) Mayer Rothschild foi enviado a Nápoles, Itália, onde acabou por fazer grandes negócios com o Vaticano. O Papa Gregório XVI

deu-lhe mais tarde  a fita e estrela da Sacred Military Constantinian Order of Saint George/ Sagrada Ordem Militar de São Jorge. Além disso, sempre que o Papa recebia Kalmann, ele estendia-lhe a mão ao invés do habitual dedo do pé a beijar, mostrando bem a extensão do poder do Kalmann sobre o Vaticano.

1822: O imperador da Áustria fez de cinco irmãos Rothschild, barões. Nathan Mayer Rothschild optou por não aceitar o título.

1823: Os Rothschilds assumem em todo o mundo, as operações financeiras da Igreja Católica.

1827: Sir Walter Scott publica The life of Napolean e  no volume dois, afirma que a Revolução francesa foi planeada pelo Illuminati (Adam Weishaupt) e financiada por cambistas da Europa (Os Rothschilds). (é caso para dizer que nem o “santo vaticano” é de ferro!)

1832: Presidente Andrew Jackson (o sétimo presidente dos Estados Unidos de 1829 a 1837), está em campanha para o seu segundo mandato com o seguinte slogan, “Jackson And No Bank! / Jackson e nenhum banco!” Esta é a referência ao seu plano para retomar o controlo do sistema financeiro americano e beneficiar o povo americano e não dar lucro aos Rothschilds.

1833: Presidente Andrew Jackson começa a retirar o controlo de Rothschild a depósitos do governo americano, tirando-os do Segundo Banco dos Estados Unidos e depositando-os em bancos dirigidos por banqueiros democráticos. Em resposta, os Rothschilds fazem o que melhor sabem: contraem o fornecimento de moeda e originam uma depressão. O presidente Jackson consciente do que estão a tramar, declara mais tarde: 

Vocês são um antro de ladrões e de víboras e pretendo derrotar-vos, pelo Eterno Deus, eu irei derrotar-vos ” (… o ninho nunca desapareceria de todo)

1834: O líder revolucionário italiano, Guiseppe Mazzini, é seleccionado pelos Illuminati para dirigir seu programa revolucionário por todo o mundo. Assim o fez até morrer em 1872.

1835: A 30 de Janeiro, um assassino de nome Richard Lawrence, tenta matar o Presidente Jackson, mas milagrosamente as suas duas pistolas falharam. Jackson afirmaria mais tarde que sabia que os Rothschilds eram os responsáveis pela tentativa do seu assassinato. Richard Lawrence, que foi declarado inocente por motivos de insanidade mental, gabou-se mais tarde que pessoas poderosas da Europa o tinham contratado e que tinham prometido protegê-lo caso fosse capturado. 

Os Rothschilds adquirirem os direitos de exploração das minas de mercúrio de Almadén em Espanha. Esta foi na época, a maior concessão realizada no mundo e como o mercúrio era um componente vital na refinação de ouro ou prata, deu aos Rothschilds o monopólio virtual do mundo.

1836: Após anos de luta contra os Rothschilds e seu banco central na América, Presidente Andrew Jackson finalmente consegue retirá-lo do território americano quando a carta não foi renovada. Não seria antes de 1913 que os Rothschilds seriam capazes de configurar o seu terceiro banco central na América, o Federal Reserve / Reserva Federal. E para garantirem que desta vez não se repetiriam os mesmos erros, colocaram como responsável pelo projecto,  Jacob Schiff, homem  da linhagem Rothschild.

Nathan Mayer Rothschild morre e o controle do seu banco, N.M. Rothschild & Sons  é passado para seu irmão mais novo, James Mayer Rothschild.

1837: Os Rothschilds enviam um dos seus, August Belmont, judeu Ashkenazi, à América para resgatar os interesses bancários derrotados pelo Presidente Andrew Jackson.

1840:  Os Rothschilds tornam-se correctores de ouro do Banco da Inglaterra. Criam agências na Califórnia e na Austrália.

1841: Presidente John Tyler (o 10º presidente dos Estados Unidos de 1841 a 1845) vetou o ato de renovação da carta para o Banco dos Estados Unidos. Ele passa a receber centenas de cartas ameaçando-o de morte.

1844: Salomon Mayer Rothschild adquire as empresas United Coal Mines of Vítkovice  e a Austro-Hungarian Blast Furnace Company que viriam a ser das dez maiores preocupações industriais globais.

Benjamin Disraeli, judeu Ashkenazi (que viria a tornar-se por duas vezes primeiro-ministro britânico – o único judeu Ashkenazi  autorizado a o ser) publica Coningsby, no qual caracteriza Nathan Mayer Rothschild como:

“senhor e mestre dos mercados financeiros do mundo e naturalmente senhor e mestre virtual de tudo o resto. Monarcas e Ministros de todos os países cortejaram seu conselho e foram guiados por suas sugestões.”

1845: Morre o grande patriota americano,  Andrew Jackson (sétimo presidente dos Estados Unidos). Antes de sua morte perguntaram-lhe qual a maior conquista realizada.  Ele responde sem hesitação:

“Eu matei O Banco,” em referência ao ter banido em 1836, o Segundo Banco dos Estados Unidos, controlado pelos Rothschilds.

Jacob (James) Mayer Rothschild (que por esta altura tinha casado com sua sobrinha, Betty, filha de Salomon Mayer Rothschild) e agora conhecido como Barão James de Rothschild, ganha o contrato para construir a primeira linha ferroviária de França.  Foi chamada Chemin De Fer Du Nord e ligou Paris a Valenciennes. De seguida, juntou-se com a rede ferroviária austríaca construída por seu irmão (e pai da sua esposa – tudo soa um pouco sórdido não é?), Salomon Mayer Rothschild.

1847: Lionel De Rothschild, agora casado com a filha do seu tio, Kalmann (Carl) Mayer Rothschild, é eleito para o assento parlamentar para a cidade de Londres.

Fonte:  http://www.rense.com/general88/hist.htm 

A história dos Rothschild – Parte 5

A história dos Rothschild – Parte 1  – A história dos Rothschild – Parte 2    A história dos Rothschild – Parte3 

Realces de frases com esta cor são da minha responsabilidade

Advertisements

15 comments on “A história dos Rothschild – Parte 4

  1. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 3 « A Arte da Omissao

  2. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 5 « A Arte da Omissao

  3. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 6 « A Arte da Omissao

  4. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 7 « A Arte da Omissao

  5. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 8 « A Arte da Omissao

  6. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 9 « A Arte da Omissao

  7. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 10 « A Arte da Omissao

  8. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 11 « A Arte da Omissao

  9. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 12 « A Arte da Omissao

  10. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 13 « A Arte da Omissao

  11. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 14 « A Arte da Omissao

  12. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 15 « A Arte da Omissao

  13. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 10 | A Arte da Omissao

  14. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 14 | A Arte da Omissao

  15. Pingback: A história dos Rothschild – Parte 15 | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: