A Arte da Omissao

Abriu a época dos saldos da venda de Portugal

Valeu com toda a certeza para estes vampiros, o tempo que aguardaram até Portugal ficar no ponto…. Temos que agradecer à troika e em especial à corja de governantes que tanto contribuíram e continuam a contribuir para a desvalorização de Portugal.

 E como também já se dizia à tanto tempo, que a “ajuda” que Portugal pediu e que com tanta prontidão foi dada, matematicamente não é possível ser paga, senão com os nossos bens, empresas, conhecimento (valores estes que são OURO para estes vampiros sugadores).
Um fundo luxemburguês quer investir em Portugal 200 milhões de euros no sectores imobiliário, agricultura e pescas. O objectivo é comprar crédito malparado com desconto, para depois o vender com lucro. Segundo a Present Value, o crédito malparado em Portugal ronda os 60 mil milhões de euros.
O fundo luxemburguês AES Principal Fund SICAV-SIF vai investir em Portugal nos sectores da Agricultura, Pescas e também em activos imobiliários em incumprimento (distressed assets).

O fundo vai adquirir com desconto, empresas e imóveis detidos pela banca, nas áreas definidas, para apostar na sua reabilitação e seguidamente as alienar. 

A empresa portuguesa Present Value será a conselheira do fundo de investimento, que está protegida “pela solidez de instituições como o Banque Privée Edmond Rothschild Europe, pela KPMG e pela sociedade de advogados Loyens & Loeff“, acrescenta a nota de imprensa.  (vem a cavalaria toda..)
 
O investimento mínimo por investidor é de 125 mil euros e o fundo não garante o reembolso de capital ou liquidez. Contudo, a Present Value prevê uma rendibilidade competitiva com outros produtos disponíveis no mercado.  (Quais?)
 
A Present Value é uma empresa portuguesa detida por investidores nacionais, incluindo a família Beirão da Veiga, Jorge Ricciardi e João Costa Reis, empresários com vasta experiência na recuperação de créditos, actuando no aconselhamento ao investimento.
 
O AES Principal Fund é constituído por compartimentos especializados em Agricultura, Pescas ou Imobiliário, totalmente independentes uns dos outros, evitando riscos de contaminação, têm uma maturidade entre 2 e 10 anos, sem possibilidade de reembolso antecipado, podendo ser adquiridas por investidores institucionais profissionais ou bem informados.
 
O fundo tem a supervisão da Comission de Surveillance du Secteur Financier (CSSF), regulador luxemburgês do mercado de capitais. 

O responsável da Present Value assinalou que Portugal é «atractivo para os investidores estrangeiros porque está à frente dos outros países nos problemas de [crédito] malparado e na crise económica, mas mostra grande potencial de crescimento». (o que se diz aqui é que Portugal reúne as condições ideais para ser “moeda” nos negócios da famosa família Rothschild

O fundo vai estar atento «às oportunidades no sector imobiliário, em consequência do incumprimento por parte dos compradores, que ronda os 30 mil milhões de euros». (vai começar a época dos saldos da venda de Portugal…mas não para nós, tugas)

Quanto à agricultura e às pescas, o AES Principal Fund considera que «são dois sectores deprimidos em Portugal devido a ausência de uma gestão eficiente dos solos e das empresas e por uma deficiente exploração da Zona Económica Exclusiva [espaço marítimo] de Portugal».

fonte


Anúncios

6 comments on “Abriu a época dos saldos da venda de Portugal

  1. António de Azevedo
    1 de Agosto de 2012

    Se bem entendi das diatribes para aqui vomitadas pelo “blogger”, um Fundo de Investimentos pretende investir 200 milhões de Euros em Portugal, recuperar as empresas e os sectores que sejam recuperáveis – incluindo pelo aumento de postos de trabalho – e, depois, vender as participações com lucro… será que o atarantado mental que escreveu isto ficaria satisfeito se as vendas se realizassem com perdas? Ou, se fosse um investidor com o seu dinheiro aplicado neste Fundo, que o mesmo não apresentasse rendibilidade? E, interessa verdadeiramente saber se é o Banco Rotschild ou o outro qualquer? Talvez cantasse loas e beijasse o chão se fosse um português a comprar o mal-parado… ah, não! Iria logo dizer que devia ser um malandro qualquer com ligações políticas e blá-blá-blá, porque a única coisa que faz a felicidade dos atrasados mentais que rastejam neste país é ver a infelicidade dos demais.

    Gostar

    • urantiapt
      1 de Agosto de 2012

      Vamos aguardar para ver os resultados.

      Gostar

      • António de Azevedo
        2 de Agosto de 2012

        I couldn’t agree more!

        Gostar

  2. Gonçalo Rodrigues
    10 de Setembro de 2012

    Mas e qual a relação da OTBX com esta notícia? Não entendo…

    Gostar

    • urantiapt
      10 de Setembro de 2012

      Como exemplo de propostas de políticas totalmente invertidas às referidas no artigo de base e onde a palavra NACIONAL é a chave.

      Gostar

      • Gonçalo Rodrigues
        10 de Setembro de 2012

        Continuo sem perceber muito bem a relação entre as coisas nem onde pretendem chegar…

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: