A Arte da Omissao

Autor francês revela atividades do Mossad

O escritor francês, Jacob Cohen, lançou um novo livro que revela como a agência de espionagem israelita Mossad, manipula cidadãos judeus na França e os recruta como agentes secretos. [1]

O livro, intitulado de “Dieu ne repasse pas à Bethléem” (Deus não vai voltar a Belém), investiga profundamente a posição de Israel em França, e é a primeira publicação no país a revelar a influência  e actividades do Mossad  dentro da França.

O livro menciona os Sayanims (agentes secretos que trabalham para o Mossad), palavra em Hebraico pouco conhecida na França.

“…quais são as suas conexões, tomo como exemplo. Lembrem-se do soldado Gilad Shalit. Ele era completamente desconhecido e, em poucos dias, seu nome ficou famoso em todo o mundo. Qual era o trabalho do Sayanim?, “disse Cohen a um correspondente da Press TV no sábado passado.

Shalit, que também tem cidadania francesa, era um soldado israelita preso pelo Hamas (movimento de resistência na Palestina) num ataque na faixa de Gaza em 2006. Ele ficou preso por mais de cinco anos e libertado em 2011 como parte de um acordo de troca de prisioneiros.

Cohen, judeu com familiares a viver nos territórios ocupados, já foi atacado pelo conteúdo dos seus livros.  Ele diz que a forma como tem sido tratado devido às suas ideias e livros, tem ajudado a conhecer o aparelho israelita de dentro para fora e levou-o a tornar-se fortemente anti sionista.

Tudo isto me incentivou a escrever dois livros acerca da manipulação do Mossad a um monte de judeus, que vivem em França, nos Estados Unidos, em toda parte para os ajudar na sua propaganda,” acrescentou.

Uma noite antes do lançamento do livro, o local foi marcado com um graffiti. No entanto, diz Cohen,  não tem medo e planeia escrever um terceiro livro.

Fonte: http://www.voltairenet.org/French-author-reveals-Mossad

 

Artigos relacionados:

A história dos Rothschild – Parte 15

Fornecedores da Mossad vendem ‘escutas’ à Judiciária

Turquía sospecha que un pájaro migratorio es espía de Israel 

As operações de espiões fazendo-se passar por agentes de outro país são comuns. Os agentes do país A disfarçam-se de agentes do país B para realizar acções no país C. O objectivo é normalmente que o país visado, o C, acredite que está a ser sabotado pelo país B e eventualmente retalie contra este. Neste caso, a ideia seria apenas que Israel levasse a cabo acções de sabotagem no Irão sem despertar suspeitas do seu envolvimento.->  Mossad recruta em grupo iraniano fazendo-se passar pela CIA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: