A Arte da Omissao

Olhar Portugal do cimo de uma escada

A crise das dívidas soberanas foi um artefacto gerado pelo poder financeiro e que lhes vai permitir ganhar valores reais, não moeda (essa é simplesmente impressa) e nada vale pare eles pois é gerada a partir do nada.

Libertaram a linha da pesca,  governos e cidadãos caíram no engodo. Empréstimos e mais empréstimos. No entanto não pensemos que quem emprestou não ganhou à cabeça as suas contrapartidas. Logo os nossos “credores” não são nada inocentes neste processo.

Depois resolveram começar a enrolar a linha no carreto da cana de pesca. O mundo acorda com os alarmes, em forma de % de juros, avaliações,  dos mesmos  que  anteriormente libertaram a linha, e que nos “forçam” a pedir mais dinheiro emprestado feito do nada.

Entram em campo os agentes da troika, que começam a governar os países que caíram neste outro engodo e cujos governos locais não passam de seus lacaios, pois até o sentido de patriotismo os governos perderam.

No nosso caso em particular o plano de “escravidão” está a decorrer. Primeiro aniquila-se a força popular, a força  produtiva. Com estas últimas acções de austeridade, transfere-se o pouco oxigénio do povo agonizante para o poder do capital, na esperança de que não tenham sequer força para gritar. Uma vez que sem economia e sem crescimento não podemos pagar as dividas (os nossos credores sabem disso desde o início), teremos que pagar com as nossas empresas e conhecimento, “dinheiro” com muito valor. Mas isto não lhes chega. Eles vão querer ser a solução do problema por eles gerado e que nós, agonizantes vamos implorar. Chega a nova era de escravidão.

Enquanto não nos consciencializarmos que vivemos os efeitos de acções concertadas levadas a cabo pela elite financeira e corporativa com a ajuda indispensável dos governos que não passam de marionetas  e continuarmos a falar só das nossas guerras partidárias, o debate urgente acerca do processos em curso de escravidão não é iniciado.

Cabe a nós nas nossas casas, explicar ao avó reformado que a mesma entidade a quem ele confiou dinheiro, ao longo da sua vida de trabalho, para assegurar a sua sobrevivência quando fosse de idade, é a mesma que sem lhe pedir autorização o rouba. Todos os avós deste país têm que entender que o governo (entidade que os devia proteger)  é quem os está a roubar. ROUBAR é crime.

Os deputados que assentam os seus traseiros na Assembleia da Republica graças aos votos destes avós, não fazem nada? Conseguem dormir, Srs. deputados?  Vão continuar  e assinar mais outro roubo?  Quando o país cair sem economia, vocês  também caem, pois já não há quem pague as vossas mordomias e o sustendo das vossas famílias. Pensem nisso.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 13 de Setembro de 2012 by in Divida, Portugal and tagged , , , , .

Navegação

Categorias

%d bloggers like this: