A Arte da Omissao

Barroso fala numa nova “nova ordem mundial”

Em 2012, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, no seu discurso sobre o Estado da União, apelou que esta  lidere uma “Nova Ordem Mundial”.

A primeira vez que o mundo se familiarizou com a frase “Nova Ordem Mundial”, foi quando o presidente George HW Bush, forneceu uma epifania das suas intenções e capacidades, logo após a invasão do Kuwait pelo Iraque.

O discurso do Presidente Barroso, portanto, tem um precedente atlantista bem profundo. Neste, Durão Barroso também introduziu a politica real das forças europeias directamente envolvidas em posições de liderança, nos conflitos regionais de interesses estratégicos. 

A  27 de Setembro de 2012,  no seu discurso no Woodrow Wilson Institute em Princeton, Barroso forneceu com grande clareza as suas próprias intenções e capacidades, em relação à “Nova Ordem Mundial”, discurso no qual deu ênfase à palavra “lutas”, pelas quais, ele acha que vale a pena lutar. 

Em relação ao que “vale a pena lutar”, Barroso refere a democracia. Em relação aos campos de batalha, nos quais a democracia está ameaçada, indicou vária regiões de preocupação imediata. A própria Europa foi identificada como uma região em que a democracia está ameaçada pela dissolução da União Europeia e o colapso em facções nacionalistas. A Síria, seguida pelo Irão também foram identificadas como desafio imediato e estratégico. 

Escola dos Serviços Estrangeiros do Frei Edmund A. Walsh, carinhosamente apelidada de “Escola dos Espiões”, é o primeiro domínio público que liga o presidente Barroso, o Velho “Nova Ordem Mundial” à Nova “Nova Ordem Mundial”. Edmund A. Walsh foi um jesuíta da Opus Dei com a missão de criar uma União Europeia Cristã contra os soviéticos.  Donovan, também era católico, logo, parte espiritual desta Opus Dei, assim como temporalmente qualificado pela sua inteligência.

Fontes: União Europeia – parceira indispensável

Finalizada a  segunda guerra mundial, a União Europeia, criada com patrocínio americano, reuniu vários países europeus, e passaria a ser seria o baluarte e escudo contra a ameaça soviética.

Em 2002, alguns documentos americanos que foram desclassificados, forneceram informações que confirmaram o papel dos serviços secretos  na criação deste bloco anti-soviético. 

Documentos pesquisadas por Joshua Paul da Universidade de Georgetown, revelaram  que a (ACUE),   Comité Americano para a Europa Unida,  foi a ferramenta estratégia que esteve por trás da União Europeia.  Esse comité foi presidido por William “Wild Bill” Donovan,  fundador do OSS (precursora da CIA) e pelo vice-presidente  Allen Dulles, director da CIA na década de 1950. Este período da história do pós-guerra ocidental pode ser encarado como a velha “Nova Ordem Mundial”. 

O precursor da União Europeia foi a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA).

Fonte: Euro-federalistas financiados por chefes de espionagem Americanos

Anúncios

2 comments on “Barroso fala numa nova “nova ordem mundial”

  1. 30 de Outubro de 2012

    O Barroso é maçónico como a maioria dos políticos. Ele apenas serve os interesses de poderes maiores e mais negros…

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 30 de Outubro de 2012 by in União Europeia.

Navegação

Categorias

%d bloggers like this: