A Arte da Omissao

Fundos da UE gastos em festival de música no Caribe

Anualmente, a Grã-Bretanha entrega a Bruxelas cerca de £ 4,2 bilhões, mais propriamente para os fundos de investimento  “estruturais e de coesão”. Também anualmente,  parte desta quantia, cerca de £ 1,2 bilhões, regressam para serem aplicados em projectos no Reino Unido.

Ministros nunca se preocuparam em saber como o dinheiro é gasto na Grã-Bretanha  e cada esquema  tem de mostrar a bandeira europeia.  Esta ausência de preocupação é quebrada agora com uma série de esquemas duvidosos enolvendo estes fundos,  descobertos pelo The Sunday Telegraph.

Entre esses esquemas destacam-se o  “botanical wonderland” na França, um jardim bíblico-temático na Polónia e um festival de música no Caribe.

Separadamente, a Comissão Europeia tem expressado preocupação sobre a forma como o dinheiro está a ser tratado e criou duas comissões para monitorizar os pagamentos,  após auditorias terem evidenciado  “sérias deficiências” na gestão de dezenas de programas.

Num relatório elaborado no ano passado, mas não revelado até agora, a Comissão disse ter  “interrompido” o pagamentos a 49 de seus programas de financiamento regionais só em 2010, no valor de £ 1730000000. “Fraquezas sistémicas” foram identificados na gestão de projectos na Itália, e “graves deficiências” no modo como a grande maioria dos projectos em Espanha foram executados. Outro documento refere  a existência de  “reservas” sobre 121 programas em toda a UE e advertiu para os pagamentos de  “alto risco”, no valor de £ 4220000000 terem sido feitos  só com a garantia limitada de que os projectos estavam sendo geridos adequadamente.

Projecto “botanical wonderland” – França

Recebeu £ 13 milhões. Inclui vários centros de negócios, um cinema,  “zonas aquáticas” e quase 15 hectares de jardins. A UE espera  atrair centenas de milhares de visitantes e receitas  no valor de de £ 17 milhões por ano.

Festival de música no Caribe

Festival de música anual e que dura 4 dias,  em  Marie-Galante, Guadalupe. Os organizadores esperam  atrair visitantes para a ilha, a qual sofre de despovoamento, habitada por cerca de 12.400 pessoas. Em 2011, só  10 por cento da audiência veio do exterior. O festival, que se destina a ajudar a acelerar o desenvolvimento económico da ilha, apresenta vários géneros musicais, incluindo R & B, reggae, gospel e jazz. A maioria dos principais artistas vêm de Guadalupe e de outras ilhas do Caribe.  A EU considera o festival como uma “ponte cultural para a África” e descreve a ilha como uma “região ultraperiférica” que requer ajuda especial por causa de sua localização remota. Recebe da UE cerca de 40 por cento dos seus custos anuais.

Concerto de caridade 

Cerca  de £ 181.521 foram prometidos aos organizadores da Una Voce por Padre Pio, concerto de caridade realizado em Pietrelcina na Campânia, sul da Itália. Foi transmitido na televisão nacional. A competição, em homenagem a um santo local, contou com artistas conhecidos, incluindo Katherine Jenkins, a cantora galesa.

jardim bíblico

Na Polónia – um dos países mais pobres da EU – foram entregues £ 503.000 para um “jardim bíblico” na cidade termal de Muszyna. Um jardim botânico será construído em torno da igreja da cidade e prédios paroquiais, com modelos de cenas bíblicas. Autoridades da UE e da Polónia, esperam atrair mais turistas para a região sudeste do país.

centro de artes em Bialystok na Polónia

Recebeu quase £24 milhões. O Centro de Arte Europeia vai abrigar quatro salas destinadas a espectáculos de ópera e de orquestras, um anfiteatro e restaurantes. As autoridades esperam que o projecto  impulsione a economia local com o aumento de turistas. A UE também diz que o centro vai permitir que os moradores desfrutem  mais experiências culturais e que a sua construção, inicialmente, criará 182 empregos, e um adicional de 50 a longo prazo.

Dezenas de projectos por toda a Grã-Bretanha recebem financiamentos estruturais, mais alocados pelos conselhos e autoridades regionais de desenvolvimento do que pelo governo.

Foram distribuídos £ 6.000.000 num esquema de fornecimento a empresas em Merseyside, Cumbria, Lancashire, Manchester e Cheshir,  com conselhos e ajuda na redução de  emissões de carbono e a tornarem-se mais eficientes.

Os fundos estruturais vêm de três potes de dinheiro: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), Fundo Social Europeu (FSE) e Fundo de Coesão. Eles devem ser gastos nas regiões mais pobres de cada país europeu para ajudar a fechar a lacuna com as áreas mais ricas. Independentemente de quão rico é um país, recebe sempre algum dinheiro dos dois primeiros fundos, enquanto o terceiro fundo é gasto nos 14 países membros mais pobres. O objectivo do FEDER é impulsionar as economias,  manter empregos e financiar  uma grande variedade de projectos, incluindo a construção de estradas e atracções turísticas. O FSE destina-se a ajudar as pessoas a encontrar empregos.

Um fórum de pensamento inglês,  Open Europe, aprovou um plano para aplicar só os fundos  em países com níveis de rendimento abaixo da média da UE, o que levaria a economizar bilhões de libras britânicas.

“Ao limitar os gastos aos  estados membros da EU mais carentes,  o Reino Unido pouparia cerca  £ 4 bilhões ao longo de sete anos. Além disso, para os restantes fundos, deve ser estabelecida uma ligação clara entre o desempenho e os gastos,   de forma a evitar a situação actual em que o dinheiro muitas vezes choca com projetos com resultados mínimos ou mesmo negativos” disse Pawel Swidlicki, um analista de pesquisa da Open Europe,

Shirin Wheeler, porta-voz da política regional da UE, disse:

“Dentro de mercado único da UE, cada euro investido sabiamente irá beneficiar todos os Estados membros, criando crescimento, emprego e novas oportunidades, para as empresas de toda a UE. Empresas do Reino Unido, por exemplo, ganharam muitos contractos em novos estados membros. Para além de apoiarmos as regiões mais pobres, precisamos ajudar todas as regiões da Europa para se tornarem mais competitivas. Trata-se de investimento estável, não de subsídios. “

Fonte: EU funds spent on Caribbean music festival

##################

Este é um “pequeno” grande exemplo desta comunidade, que há muito tempo usa várias velocidades. Também  exemplifica o nível de compadrio e corrupção que por lá prolifera.

One comment on “Fundos da UE gastos em festival de música no Caribe

  1. Pingback: Carlos Costa partilhou documentos reservados sobre o banco de fomento « A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: