A Arte da Omissao

Um mundo escondido a crescer fora do controle – Parte 4

Tradução do artigo  A hidden world, growing beyond control

Projecto Top Secret America de Dana Priest  e William M. Arkin

day1-lead

Descrição do projecto

Top Secret America” é um trabalho de pesquisa jornalística do Washington Post, divulgado em 2010 e que descreve o enorme acúmulo da segurança nacional dos Estados Unidos após o 11 de Setembro de 2001.

Segundo os autores, quando se trata de segurança nacional, é comum não se olhar a despesas, resultando em grandes empreendimentos que ninguém no governo tem a compreensão completa dos mesmos. Foi o que Dana Priest e William M. Arkin encontraram: omnipresente, muitas vezes ineficiente e quase invisível às pessoas, destinatárias de tal protecção..

O projecto é composto por artigos, uma base de dados on-line com mapas interactivosoutros gráficos e descreve o escopo e complexidade do programa de segurança nacional do governo americano.

O mundo ultra-secreto do governo criado em resposta aos ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001, tornou-se tão grande, tão pesado e tão secreto que ninguém sabe quanto dinheiro custa, quantas pessoas emprega, quantos programas contem  e o número exacto de agências que fazem o mesmo trabalho.

Para termos outra visão sobre a expansão do  Top Secret America, siga a direcção do Dulles International Airport.

Os gigantes Northrop Grumman e Lockheed Martin pertencem à National Geospatial-Intelligence Agency (Agência Nacional de Inteligência Geoespacial), que analisa imagens e dados cartógrafos da geografia da Terra. Um pequeno sinal obscurecida por uma sebe de buxo diz isso.

Do outro lado da rua, nos blocos de cor de chocolate, está a Carahsoft, agência das secretas prestadora de serviços, especializada em cartografia, análise de voz e de recolha de dados. Perto está o Underground Facility Analysis Center. Identifica centros de comando subterrâneos estrangeiros associados a armas de destruição em massa e a  grupos de terroristas. Depois aconselha os militares como os destruir.

Agrupamentos  de trabalho “top-secret” existem por todo o país, mas a região de Washington é a capital da Top Secret America.

Cerca de metade das empresas criadas depois de 9/11 está ancorada num raio que se estende do sul de Leesburg a Quantico, de volta a norte através de Washington e curvando a nordeste de Hanover, ao norte do aeroporto internacional  de Baltimore-Washington. Muitos dos edifícios situam-se dentro de bases militares ou de edifícios governamentais.

Outros ocupam parques empresariais ou estão misturados com bairros, escolas e centros comerciais e assim passam despercebidos da maioria das pessoas que vivem por perto.

Não é só a quantidade dos edifícios que sugere o tamanho e custo desta expansão, é também o que está dentro: bancos de vigilância por televisão. “Escoltas necessárias”, máquinas de raio X e armários para guardar celulares e pagers. Fechaduras com pequenos teclados   abrem salas especiais envoltas em metal,impenetráveis às ferramentas de espionagem e protegidas por alarmes e forças de segurança capazes de responder em 15 minutos. Cada um destes edifícios tem pelo menos uma destas salas, conhecidas como SCIFSensitive Compartmented Information Facility. Algumas são tão pequenas como um armário, outros são quatro vezes o tamanho de um campo de futebol.

O tamanho SCIF tornou-se uma medida do estado da Top Secret America, ou pelo menos na região de Washington. “Em DC, todo mundo fala SCIF, SCIF, SCIF”, disse Bruce Paquin, que se mudou para a Flórida vindo da região de Washington há vários anos para começar um negócio de construção SCIF. “Não se pode ser um menino grande, a menos que se pertença a uma agência com  três letras e uma SCIF grande.”

SCIFs não são os únicos itens a merecer grande atenção. Centros de comando, redes de vigilância internas, SUVs blindados e seguranças pessoais tornaram-se também as jóias da segurança nacional.

“Não se encontra um general de quatro estrelas sem nível de segurança”, publicou um general de três estrelas em Washington, depois de alguns anos no exterior. “O medo fez com que todos tenham coisas. Então vem,” Se ele tem um, então eu tenho que ter um. “Tornou-se um símbolo de status.

C0ntinua…

Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4

Nota: Links e frases sublinhadas com esta cor, são da minha responsabilidade.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 31 de Dezembro de 2012 by in DIANTE DOS NOSSOS OLHOS, O mundo visto ao microscópio, USA and tagged , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: