A Arte da Omissao

FMI, decide de uma vez por todas – IMF make up your mind once for all

images

13/09/2012  – FMI diz que economia portuguesa não sobrevive apenas com austeridade

O chefe da missão do FMI na ‘troika’, o etíope Abebe Selassie, admitiu, em entrevista hoje ao jornal Público, que a economia portuguesa “não vai sobreviver” apenas com austeridade, sendo imperativas “reformas que melhorem a produtividade”. (fonte)

09/10/2012  – FMI reconhece que calculou mal o impacto da austeridade na economia

Ao fim de mais de dois anos de austeridade na Europa, com várias previsões de crescimento revistas em baixa, o Fundo Monetário Internacional (FMI) apresentou mais um mea culpa, algo que já se começa a tornar hábito na instituição.

No relatório semestral sobre o estado da economia mundial tornado público ontem à noite, o FMI reconhece que as medidas de contenção orçamental aplicadas em vários países em todo o Globo estão a ter, nos últimos anos, um impacto negativo na economia muito maior do que aquilo que os modelos que estão a ser utilizados previam. Entre as vítimas destes erros de cálculo estão os países que, na Europa, têm vindo, ainda sem sucesso, a apostar em políticas de forte austeridade para resolver os seus problemas orçamentais, como a Grécia e Portugal. (fonte)

 09 de Janeiro de 2013 – FMI recomenda novas medidas de rigor a Portugal

O Fundo Monetário Internacional (FMI) recomendou novas medidas de austeridade a Portugal, que sob plano de resgate financeiro. De acordo com um relatório publicado no site do governo, o órgão pede que Lisboa reduza salários e aposentadorias e corte postos do funcionalismo público para promover economias de até 4 bilhões de euros. (fonte)

11 de Abril  de 2013 – Irlanda: Responsável do FMI assume que aposta na austeridade não resultou

Numa altura em que o ministro das Finanças diz que quer seguir o mais perto possível o exemplo irlandês, um responsável do FMI que participou na elaboração do programa de ajustamento da Irlanda assume que a aposta na austeridade não resultou.

Trata-se quase de um “mea culpa”. O chefe da missão do FMI na equipa da ‘troika’ que se ocupou do caso da Irlanda disse agora que a receita seguida estava errada e não funciona.

Ashoka Mody, que já deixou o FMI, referiu que, quando a crise surgiu, havia três soluções possíveis mas a opção recaiu na austeridade. Algo que não foi razoável nem produtivo (fonte)

16 ABRIL, 2013 – FMI: austeridade vai agravar condições económicas da periferia da zona euro

A economia mundial vai crescer menos do que o esperado, a recessão europeia vai agravar-se e os bancos da periferia da zona euro vão continuar a ser um travão ao crescimento económico. O último relatório do FMI reconhece mesmo que a austeridade vai destruir as economias, embora não apresente nenhuma alternativa à política defendida pelo Fundo. (fonte)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 17 de Abril de 2013 by in crise financeira, DIANTE DOS NOSSOS OLHOS, FMI, O mundo visto ao microscópio and tagged , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: