A Arte da Omissao

Monsanto desiste de novas culturas GM na UE

Tradução do artigo, Monsanto gives up on new GM crops in EUJulho 2013

Diante das preocupações generalizadas na Europa sobre os seus alimentos geneticamente modificados, a gigante Monsanto, corporação agro e química americana, disse na quinta-feira que estava a desistir dos planos de plantar novas sementes GM (NYSE: GM – notícias) na UE, pois esta  está a demorar muitos anos a aprovar.

“Não vamos mais andar atrás da aprovação para o cultivo de novas culturas transgénicas na Europa”, disse a Monsanto, acrescentando que iria concentrar-se no seu negócio de sementes convencionais. (engana-me que eu gosto, NdT)

A Comissão Europeia, braço executivo da UE, disse ter “anotado a decisão” da Monsanto, a qual produz culturas GM largamente utilizadas nos Estados Unidos e noutros lugares.

Na Europa, porém, a suspeita sobre o uso de alimentos transgénicos está generalizada, com muitos a temer que o seu uso seja um perigo para a saúde.

A Monsanto insiste que tais temores são infundados e que os produtos geneticamente modificados são essenciais para responder à crescente procura mundial por alimentos.

A UE actualmente permite apenas o cultivo de dois produtos geneticamente modificados no  bloco dos 28 membros: o milho MON 810 da Monsanto e a batata conglomerada alemã Amflor da BASF.

Bruxelas aprovou o milho MON 810 em 1998 por 10 anos e a Monsanto apresentou em 2007, um pedido de renovação, mas o processo foi efetivamente congelado desde então.

Na ausência de uma decisão formal sobre o pedido de renovação, o milho 810 ainda é cultivado em pequena escala, nomeadamente em Espanha e Portugal, cujos governos têm sido mais acolhedores do que os outros Estados-Membros.

Grupos ambientalistas saudaram o anúncio da Monsanto. 

“São grandes notícias para a ciência e investigação na Europa”, disse Mark Breddy, porta-voz da Greenpeace na UE.

“Ao longo do último par de décadas, os produtos geneticamente modificadosprovaram ser uma tecnologia ineficiente e impopular, com riscos inaceitáveis ​​para o nosso meio ambiente e saúde”, disse Breddy.

“A retirada da Monsanto poderá finalmente criar o espaço para a agricultura europeia se concentrar em práticas e tecnologias modernas que oferecem avanços reais para a produção de alimentos nas comunidades rurais.”

No início deste ano, a Monsanto disse que viu pouco interesse em procurar por novas aprovações da UE, na ausência de um claro apoio dos governos e agricultores e de um quadro regulamentar forte.

Tais condições foram encontradas só em alguns países da UE, como Espanha e Portugal, disse a empresa, acrescentando que também vendeu MON 810 numa escala limitada, na Roménia, República Checa e Eslováquia.

Ao mesmo tempo, a empresa disse que vai continuar a procurar a autorização de importação da UE para outros produtos GM,   milho, algodão, colza, beterraba e açúcar. (não querem vender saúde nem matar a fome. Estamos a falar é de patentes e de royalties, NdT)

Monsanto parou de vender o milho MON 810 na França em 2008 e na Alemanha em 2009, em face da oposição popular.

No início deste ano, Bruxelas pediu a suspensão de todos os pedidos de aprovação de GM, dizendo que precisava olhar para a questão novamente, dadas as profundas divisões entre os 28 membros da UE.

De acordo com uma investigação, a decisão da Monsanto na quinta-feira, segue um protesto de Maio referente à descoberta de trigo GM no estado de Oregon dos EUA, o qual provocou que alguns importadores asiáticos interrompessem ou suspendessem o comércio com os produtores norte-americanos. Enquanto algumas qualidades de milho e soja foram geneticamente modificadas para serem resistentes a herbicidas ou inseticidas,

Pouco tempo depois, a Monsanto anunciou que estava a desenvolver um novo tipo de trigo modificado para ser resistente ao seu herbicida Roundup, numa tentativa de melhorar o seu rendimento.

Nota: links e realces de frases desta cor são da minha responsabilidade.

artigos relacionados:

União Europeia analisa estudo alarmante sobre os OGM (Infelizmente  este estudo de nada valeu para alguns, que mesmo após terminado o acordo entre a Monsanto e UE de 10 anos e de não ter sido renovado, Portugal continua a autorizar a plantação do milho MS 810, alimento só benéfico para os bolsos da Monsanto e dos seus “escravos” portugueses. É impressionante constatar como a generalidade da população está atenta à saída para os mercados das novas tecnologias em telemóveis e tablets e nem quer saber dos perigos que estão à venda nas prateleiras dos hipermercados).

Monsanto consigue la patente del brócoli

O MUNDO SEGUNDO A MONSANTO

Monsanto ganha imunidade ..

políticos na cama com as grandes corporações…  

3 comments on “Monsanto desiste de novas culturas GM na UE

  1. Pingback: Monsanto desiste de plantar novos transgénicos na União Européia | A Verdade Sobre

  2. Pingback: Os 10 “mitos” que a Monsanto quer que acreditemos | A Arte da Omissao

  3. Pingback: É oficial – Rússia bane completamente os produtos OGM | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 20 de Julho de 2013 by in Industria Alimentar, OGM, Saúde, USA and tagged , , , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: