A Arte da Omissao

Carta aberta ao Presidente do PPD/PSD

Carta aberta ao Presidente do PPD/PSD

Caro Pedro Passos Coelho,

Quando em 1997 me filiei no Partido Social Democrata, assumi, com a humildade que a tenra idade me permitia, que era um partido que me tinha a mim e não o contrário. É um acto de consciência fundamental para um militante compreender que, para participar politicamente num partido democrático, os princípios e estatutos que o regem são fruto de uma realidade política colectiva, de serviço público, e não um mero instrumento de chegada ao poder para fabricar uma outra realidade.

Para chegar a esta conclusão e aceitar subscrever os estatutos do PSD tive, quase ao mesmo tempo, de compreender o sistema e o regime político do meu país. Era essencial para a minha consciência cívica. E mesmo com as alterações que são comuns e legítimas, há uma coisa que não posso esquecer e que aqui partilho consigo:

 “(…)

Capítulo I – Princípios Fundamentais

 Artigo 1º (Finalidades)

 

1. O Partido Social Democrata (PPD/PSD) tem por finalidade a promoção e defesa, de acordo com o Programa do Partido, da democracia política, social, económica e cultural, inspirada nos valores do Estado de Direito e nos princípios e na experiência da SocialDemocracia, conducentes à libertação integral do homem.

2. O Partido Social Democrata concorrerá, em liberdade e igualdade com os demais partidos democráticos, dentro do pluralismo ideológico e da observância da Constituição, para a formação e a expressão da vontade política do Povo Português.

3. O Partido prossegue os seus fins com rigorosa e inteira observância das regras democráticas de ação política, repudiando quaisquer processos clandestinos ou violentos de conquista ou conservação do poder.

(…)”

Certamente que reconhece os estatutos do nossos partido. E é precisamente com eles que lhe quero transmitir a minha absoluta repulsa por vários militantes do PPD/PSD terem aplaudido as suas inenarráveis palavras, proferidas durante Universidade de Verão.

A sua opinião sobre a Constituição da República Portuguesa é-me indiferente. Não lhe reconheço, a título pessoal, qualquer grau de conhecimento sobre qualquer assunto civilizacionalmente relevante. Porém, enquanto presidente do partido do qual sou militante (já para não falar enquanto Primeiro-ministro de um Governo Constitucional) exijo-lhe, a si e a todos os que com modos acéfalos o aplaudiram, que respeite os estatutos do partido e os seus princípios fundamentais. Porque caso isso não aconteça, julgo que o melhor é criar um partido novo que apoie tomadas de posição dessa natureza.

O PSD não é isto e não pode ser isto. (fonte)

ligne-rouge

Parabéns Sr. Jorge Lopes de Carvalho, pela clareza política que detém.

Aproveito para lembrar:

O que é um voto em branco? 
É aquele cujo boletim não contem qualquer sinal.
O que é um voto nulo?
quando o respectivo boletim de voto:
contem mais do que um quadrado assinalado
suscita dúvidas sobre o quadrado assinalado
contenha um quadrado assinalado correspondente a uma candidatura que tenha sido rejeitada ou desistido das eleições
contenha cortes, desenhos ou rasuras
contenha qualquer palavra escrita.
O que acontece se numa eleição os votos brancos e/ou nulos forem superiores aos votos nas candidaturas?
Os votos em branco, bem como os votos nulos, não sendo votos validamente expressos, não têm influência no apuramento do número de votos obtidos por cada candidatura e na sua conversão em mandatos.
Ainda que o número de votos em branco ou nulos seja maioritário, a eleição é válida.

Mas a verdade é que o voto em branco ou nulo ou válido e a abstenção possuem o mesmo valor. O  futuro é decidido pela UE e pelo big $, E então em que ficamos? Vamos mais uma vez validar a falsa Democracia, quem nos rouba à descarada, com os nossos votos a um dos 3 da vida airada?

 

3 comments on “Carta aberta ao Presidente do PPD/PSD

  1. Chatice
    16 de Setembro de 2013

    Já está tudo decidido, querem uma aposta? Quem está disposto a lutar conta isto?
    http://www.activistpost.com/2013/09/world-war-3-and-global-smart-id.html#more

    Gostar

  2. Chatice
    16 de Setembro de 2013

    *contra

    Gostar

  3. Chatice
    16 de Setembro de 2013

    Votar em branco é uma coisa, agora não ir votar é errado, isso é dar a voz aos outros. Marinho Pinto esteve mal nesta entrevista, apesar de ter alguma razão.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: