A Arte da Omissao

Breve história das épicas falhas da Cloud

Gosta da comodidade de ter  material seu online?

Lembre-se destes quatro acidentes e proceda com cautela.

01 de Fevereiro de 2014 | Artigo de David Pogue

Como disse na minha coluna na Scientific American deste mês, armazenar os seus dados na nuvem é tudo muito bom, se for opcional. Cada vez mais, porém, a Apple, Google, Microsoft e outros estão a forçá-lo a confiar esses dados à nuvem (servidores on-line). Se você quiser usar os seus produtos, tem de  concordar.

Em teoria, o armazenamento na nuvem é fantástico. Em vez do dinheiro que gasta num disco rígido conectado ao seu PC, os eus dados repousam nos servidores corporativos com capacidades industriais, alimentados por sistemas redundantes e ligados a fontes de alimentação ininterrupta. Que  configuração poderia ser mais segura?

Como rapidamente nos esquecemos …

  • mobileMe torna-se na desgraça Mobile: O serviço MobileMe da Apple (agora chamado de iCloud) oferecia sincronização automática de e-mail, calendário, listas de endereços e outros dados entre vários dispositivos da Apple e Macs. Mas sua história correu mal. Ele apagou os dados dos utilizadores e enfrentou vários  inesperados shutdowns, durante os seus anos de vida, por exemplo, no Verão de 2008 (11 dias em baixo, resultando em alguns casos, na perda permanente de dados), Dezembro de 2009, Setembro de 2011 e Junho de 2012.
  • Gmail fica às escuras: Milhões de pessoas confiam as vidas dos seus e-mails ao excelente serviço grátis de e-mail da Google. Passível de ser acedido via web, está disponível a partir de qualquer computador. Como tudo é óptimo – até ir abaixo.  Foi o que aconteceu em Fevereiro de 2009. Quando se tentava fazer login para verificar o correio, tudo o que retornava era o “erro do servidor 502.” Essa interrupção durou apenas algumas horas, mas não foi a única. Gmail já antes tinha ficado inacessível e iria tornar a acontecer de novo, por exemplo, durante cinco dias em 2011.
  • Hotmail automaticamente exclui 17 mil contas: Foi um script de limpeza errante, destinado a  excluir contas fictícias de teste, que fez desaparecer 17.000 contas reais e-mail  no final de 2010. A Microsoft levou três dias para as recuperar a partir de um backup. 
  • Os serviços web da Amazon derretem: Você deve pensar na Amazon.com como uma grande loja de estabelecimentos comerciais online. Mas, nos bastidores, uma grande parte do seu negócio é alugar tempo de computador, espaço de armazenamento e serviços de gestão de arquivos a outros Web sites – Netflix e Pfizer, por exemplo. Este negócio é chamado de Amazon Web Services (AWS). Mas em Abril de 2011, um centro de dados AWS falha na Virgínia e provoca uma reacção em cadeia. Grande parte da energia vinda da nuvem desapareceu na costa-leste durante quatro dias. Web sites de grande nome, como Reddit, Foursquare, Quora e HootSuite ficaram parcialmente ou totalmente no escuro, e inúmeras empresas de pequeno porte sentiam-se  impotentes enquanto os técnicos da Amazon tentavam resolver o problema.
  • PayPal, Intuit (fabricante do Quicken), Rackspace, Terremark, Salesforce e muitas outras empresas saíram nas manchetes quando os seus serviços on-line foram abaixo. Em 2013, a página principal da Amazon.com caiu (durante uma hora), Dropbox esteve offline (duas vezes: durante 24 horas e 1,5 horas), Facebook parou de actualizar (durante três horas), o programa da Microsoft, Office 365 suite ficou offline (durante duas horas), o motor de busca Bing parou de “encontrar“ (durante duas horas), o Google Drive desapareceu  (durante 17 horas) e o Twitter ficou no escuro (durante 45 minutos).

One comment on “Breve história das épicas falhas da Cloud

  1. Pingback: Somos impelidos a usar a nuvem, mas a que custo? | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: