A Arte da Omissao

Tentativa de golpe de Estado na Líbia

VOLTAIRE NETWORK | 15 de Fevereiro 2014
ligne-rouge
arton182192-a721f

Numa declaração em vídeo de 11 minutos, transmitida na sexta-feira, 14 de Fevereiro 2014, na televisão estatal da Líbia, o general Khalifa Belqasim Haftar disse que pretendia assumir o controlo das instituições políticas e suspender governo e parlamento.

Por sua parte, o primeiro-ministro Ali Zeidan apareceu no canal saudita Al-Arabiya a anunciar a demissão do general Haftar e onde manifestou a vontade de continuar no exercício das suas funções.

Haftar disse que o exercito não se movia para governar, mas que agia no interesse nacional ao  pretender pôr fim ao reinado das milícias. Manifestou a intenção de consultar as principais forças políticas para designar um presidente e governo civil provisórios.

Na verdade, o general Hafter está de saída, a pedido de Washington, numa altura em que várias cidades, principalmente a parte sul do país, caiu nas mãos das forças nacionalistas. [1]

O general Khalifa Haftar, antigo militar da Libyan Arab Jamahiriya durante a guerra do Chade em 1987, sofreu uma derrota pesada e acabou por desertar. Refugiou-se nos Estados Unidos, recebeu treino da CIA, criou o Exército de Libertação Nacional da Líbia sob as ordens da Frente Nacional para a Salvação da Líbia, mas falhou o objectivo de derrubar Muammar Gaddafi.  

Com os seus homens, na sua maioria provenientes, como ele, da tribo Farjani, tornou-se num mercenário e foi para a República Democrática do Congo para lutar por Washington. Aterrou em Benghazi em Março de 2011 com malas da NATO, tornou-se no nº 2 no comando das “forças rebeldes”, e seu líder após o assassinato do general Abdul Fatah Younis pela Al Qaeda.  Após a vitória da NATO, esta impôs-lhe o cargo de chefe do gabinete das Forças Armadas líbias.

[1] “Nationalist insurrection in Libya”, Translation Alizée Ville, Voltaire Network, 20 de Janeiro 2014.

Forças nacionalistas líbias recuperaram o controlo de várias cidades, especialmente na zona sul do país.

Nos últimos 3 dias, foram relatadas várias manifestações contra a NATO. A bandeira verde flutua novamente em Ajdabiya, Marsa el Brega, no porto Ra’s Lanuf, Sabah, Suluq  e até Tobruk.

O Congresso Geral Nacional imposto pela NATO – mas composto em parte por  ex Gaddafist , alguns dos quais se mantiveram secretamente leais – declararam o estado de emergência em todo o país.

Nunca houve uma “revolução” na Líbia, mas sim uma operação secreta da NATO, em que usou a Al-Qaeda, com o objectivo de instigar a secessão de Benghazi e  derrubar o governo central. Em última análise, a NATO bombardeou Trípoli e assassinou Muammar al-Gaddafi. A intervenção estrangeira “humanitária” resultou na morte de 160 mil pessoas e forçou  dois terços da população ao exílio.

ligne-rouge
Anúncios

One comment on “Tentativa de golpe de Estado na Líbia

  1. voza0db
    27 de Fevereiro de 2014

    Agora sim a DEMOCRACIA chegou à Líbia! VIVA a EUROPA, os EUA… Por espalharem a DEMOCRACIA pelo planeta!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 27 de Fevereiro de 2014 by in Líbia and tagged , , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: