A Arte da Omissao

Atenção utilizadores da Yahoo

Nervo Óptico: milhões de imagens de câmeras web interceptadas pela GCHQ na Yahoo

• 1.8m de utilizadores alvos da agência britânica num período de seis meses  

• Programa ‘Optic Nerve´recolhe imagens de câmeras web  no Yahoo

• Yahoo: “Um novo patamar de violação da ‘privacidade’  dos utilizadores”

•recolha de grande quantidade de imagens com sexo explícito 

Internet Market Considers MIcrosoft Bid for Yahoo

De acordo com documentos secretos fornecidos por Edward Snowden, a Agência Nacional de Vigilância da Grã-Bretanha, GCHQ, com a ajuda da Agência de Segurança Nacional dos EUA, NSA,  interceptou  e armazenou  imagens de câmeras web a milhões de utilizadores da internet.

Os arquivos da GCHQ com datas entre 2008 e 2010, explicitamente expõem  que o programa de vigilância de nome Optic Nerve recolheu imagens de câmeras web, em salas de conversaçãoda Yahoo  e guardou-as em bases de dados da agência, independentemente dos utilizadores  serem ou não alvos de inteligência.

Em 2008, só num período de seis meses, a agência recolheu imagens a mais de 1,8 milhões de contas de utilizadores do Yahoo –  onde se incluem quantidades substanciais de comunicações de sexo explícito –.

Yahoo reagiu furiosamente às intercepções quando abordada pelo Guardian. A empresa negou qualquer conhecimento prévio do programa, acusando as agências de “um novo nível de violação da privacidade dos nossos utilizadores.” (será??,ndt)

A GCHQ não tem os meios técnicos para garantir que  as imagens de cidadãos do Reino Unido ou dos Estados Unidos não sejam recolhidas e armazenados pelo sistema, e não há restrições em  termos da legislação no Reino Unido que evite que imagens de cidadãos americanos sejam  acedidas pelos analistas britânicos.

NSA ragout 4

O Optic Nerve teve início em 2008 e em 2012 ainda estava activo, de acordo com uma página wiki interna da GCHQ acedida nesse ano.

O sistema foi usado em experiências do processo de reconhecimento automático facial, para monitorizar alvos da GCHQ e descobrir outros novos com interesse. Tais pesquisas poderiam ser usadas para tentar encontrar suspeitos de terrorismo ou criminosos que usariam múltiplos identificadores anónimos.

O programa alimentado pelas conversas com câmeras web, guardava uma imagem a cada cinco minutos (não a conversa na integra), em parte para “cumprir” com a legislação em termos de direitos humanos e para evitar sobrecarregar os servidores da GCHQ . Os documentos de Snowden referem-se a esses utilizadores como “desmarcados”.

“O reconhecimento facial tem o potencial de ajudar a selecção de imagens úteis de “mugshots” (fotografias tiradas a pessoas quando entram na prisão, ndT) ou até mesmo para o reconhecimento facial através da avaliação do ângulo da face”, pode-se ler. “As melhores imagens são aquelas onde a pessoa está de frente para a web câmera com a sua cara na vertical.”

A agência fez esforços para limitar a capacidade dos analistas, restringindo as pesquisas em massa apenas a metadados.No entanto, foram mostradas aos analistas rostos de pessoas com nomes semelhantes a alvos de vigilância, potencialmente arrastando um grande número de pessoas inocentes. Um documento da agência diz que o pessoal foi autorizado a exibir ” imagens de câmeras web associadas a identificadores da Yahoo semelhantes ao alvo conhecido” .

Optic Nerve baseou-se na recolha de informações da enorme rede de “torneiras” de internet por cabo, que de seguida, foram  processadas e alimentaram sistemas fornecidos pela NSA à GCHQ. A informação vinda das câmeras webs foi introduzida  ferramenta de busca da NSA, XKeyscore,  e a pesquisa da NSA foi usada para construir a ferramenta que identificou o tráfego das câmeras web  na Yahoo.

A vigilância em massa aos utilizadores da Yahoo foi iniciada, referem os documentos,  porque é conhecido que “as camaras web  nos chats da Yahoo são usadas por alvos da GCHQ”.

NSA ragout 3

Programas como o Optic Nerve, que recolhem em massa informações de IDs de utilizadores em grande parte anónimos, são incapazes de filtrar informações de cidadãos do Reino Unido ou dos Estados Unidos. Ao contrário da NSA, não é exigido pela lei britânica que a GCHQ “minimize”, ou elimine informações dos cidadãos nacionais das suas bases de dados. No entanto, são necessárias autorizações legais adicionais para que os analistas possam pesquisar dados de pessoas, que no momento da pesquisa possam estar nas ilhas britânicas.

 Programas como o Optic Nerve, que colhem informações em massa dos IDs de utilizadores, em grande parte anónimos, não são capazes de filtrar dados de cidadãos do Reino Unido ou dos Estados Unidos. Ao contrário da NSA, à GCHQ não é exigido pela lei britânica que “minimize”, ou elimine, dados relativos a cidadãos nacionais das suas bases de dados. No entanto, autorizações legais adicionais são necessárias antes que os analistas possam pesquisar os dados de pessoas que possam estar nas ilhas britânicas, no momento da pesquisa.

Não existem essas garantias legais para pesquisas sobre as pessoas que se acredita estarem nos EUA ou nos outras nações aliadas, “Cinco Olhos”  – Austrália, Nova Zelândia e Canadá.

Os documentos também mostram que a GCHQ  testou  buscas automáticas com base na tecnologia de reconhecimento facial, para pessoas que se pareciam com alvos existentes da GCHQ. (Leia mais aqui)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: