A Arte da Omissao

Facebook – mais uma polémica

images

Nada de novo….mas urge que se relembre

Estudo secretamente executado em 2012, foi agora tornado público  pelosacadémicos que estudaram os respectivos resultados.

Em 2012, o facebook, conduziu um  estudo em parceria com a Universidade de Cornell, sem os utilizadores (689 mil) o saberem, com o  objetivo de perceber de que modo o que é apresentado em cada mural  influencia o estado de espírito dos utentes.

“A alguns utilizadores foram mostrados, de forma deliberada, posts conotados com emoções negativas (sobre amigos deprimidos, problemas mundanos como o mau tempo, notícias tristes, etc.); outros receberam o contrário, informações essencialmente positivas. E a verdade é que os resultados demonstram que o feed do Facebook — ou seja, as informações digitais a que acedemos — ajuda a determinar o estado de espírito dos utilizadores. Porque os que receberam mensagens negativas tinham tendência acima da média para postar também mensagens negativas e vice-versa para os que receberam mensagens positivas.”

 

Próprio do ser humano do século XXI, a publicação deste estudo gerou uma onda de críticas explicitadas no próprio facebook. Como é possível!!! O pessoal anda zombi?  Quando expomos algo privado a um amigo e este não respeita essa privacidade, ficamos zangados, não é?  O que dizer de milhões de pessoas, que expõem as suas vidas numa rede social e ainda têm a coragem de expressar indignação, porque as mesmas foram abusivamente analisadas?

Nunca é demais lembrar:

O facebook usa tudo o que é partilhado nos murais, para criar perfis dos respectivos criadores.

“As comunicações por mensagem privada ficam também registadas, bem como o histórico do seu browser. Sempre que a empresa consiga relacionar consigo um IP (endereço individual de internet) ou um aparelho (como um computador, um smartphone ou um tablet), vai usar os seus poderosos algoritmos para juntar a informação que tem de si e dos seus de modo a qualificar e quantificar os dados.”

“Não tenha ilusões: o negócio do Facebook somos todos nós. Há um ditado americano que diz qualquer coisa como isto: “se você não está a pagar pelo produto, então você é o produto”. A rede vende a nossa privacidade, sob forma dos nossos dados digitais, aos que a compram pelo preço mais alto. Como diz o professor de Media Digitais Jay Rosen: “Você quase não tem direitos. Você quase não tem controlo. Você nem sabe quem recebe aquilo que você publica, nem nunca saberá.” Nem mesmo aqueles que não têm conta na rede social estão “a salvo”. Quando publica uma foto de alguém que não tem conta nesta rede e lhe associa o rosto ao nome, o Facebook fica a saber quem é.”

Fonte: O que precisa de saber sobre a privacidade no Facebook

Advertisements

2 comments on “Facebook – mais uma polémica

  1. Rafael
    21 de Julho de 2014

    É isso que me assusta: “Quando publica uma foto de alguém que não tem conta nesta rede e lhe associa o rosto ao nome, o Facebook fica a saber quem é.”
    Não tenho conta nesta “coisa”, mas posso lá estar referenciado.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: