A Arte da Omissao

Farmacêutica GSK condenada por corrupção na China

_77687119_v8y17mtq

A China multou a empresa farmacêutica britânica GlaxoSmithKline em (£ 297m) após ter sido dada como culpada de pagamento de subornos.  A pena avultada resulta das alegações de que a gigante farmacêutica pagou subornos a médicos e hospitais, com o fim de promover seus produtos.

A Mark Reilly, ex-chefe das operações chinesas, o tribunal aplicou uma pena de três anos de prisão suspensa e está prevista a sua deportação.  Outras penas de prisão suspensas foram aplicadas a outros executivos da GSK.

O veredicto de culpado foi entregue depois do julgamento de um dia num tribunal de Changsha, de acordo com a agência de notícias Xinhua.

As autoridades chinesas em Julho do ano passado, anunciaram que estavam a investigar a GSK, tornando-se no maior escândalo de corrupção que atingiu uma empresa estrangeira nos últimos anos. A empresa foi acusada de ter feito aproximadamente US $ 150 milhões em lucros ilegais.

GSK disse ter já “publicado uma declaração de desculpas ao governo chinês e seu povo”.

“Chegar a uma conclusão na investigação do nosso negócio na china é importante, mas esta tem sido uma questão profundamente decepcionante para a GSK”, disse o executivo-chefe  Andrew Witty, num comunicado.

“Temos e continuaremos a aprender com isso. GSK estava na China há quase cem anos e continuamos totalmente comprometidos com o país e seu povo”, acresentou.

“Vamos continuar a investir directamente no país para apoiar a agenda da reforma dos cuidados de saúde e a longo prazo os planos do governo para o crescimento económico.”

Mick Cooper, analista da Edison Investment Research, disse em Londres que : “GlaxoSmithKline espera que isto possa traçar uma linha sob eventos na China, mas vai levar tempo para que as suas operações comerciais chineses recuperem.” (fonte)

 

Mas não fica por aqui….

GlaxoSmithKline enfrenta alegações de suborno na Síria

A gigante e internacional farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK) está a enfrentar novas queixas de subornos de distribuidores sírios para aumentar as vendas no país.

As reivindicações vêm agora da agência de notícias Reuters, que diz ter visto um e-mail anónimo enviado para a gestão de topo da empresa. Daí decorrem denúncias de corrupção no seu negócio sem receita médica na Síria, bem como alegações de suborno na China.

GSK disse que iria investigar a fundo as reivindicações.

O e-mail foi endereçado ao presidente executivo Andrew Witty e Judy Lewent.

O presidente do comité de auditoria da GSK, disse:

“A GSK tem-se envolvido em várias práticas corruptas e ilegais na condução de seu negócio farmacêutico na Síria.

A empresa suspendeu as relações com os seus distribuidores no país devastado pela guerra, enquanto decorre a investigação.  É uma das poucas grandes empresas farmacêuticas que ainda fornecia fármacos lá.

Investigações

As novas reclamações seguem uma onda de reivindicações de suborno semelhantes às contra a GSK na China, Iraque, Jordânia, Líbano e Polónia.

“Todas as reivindicações neste e-mail serão cuidadosamente investigadas utilizando recursos internos e externos, e fazendo parte da nossa investigação em curso sobre as operações na Síria”, disse um porta-voz da empresa, que é a maior fabricante de medicamentos do Reino Unido.

“Estamos empenhados em tomar quaisquer medidas disciplinares resultantes das descobertas. Suspendemos o nosso relacionamento com nossos distribuidores no país enquanto aguardamos o resultado de nossa investigação.”

As supostas somas envolvidas são pequenas, de acordo com a Reuters, cerca de milhares de dólares, em vez das centenas de milhões que alegadamente a GSK canalizou para médicos e funcionários na China.

O e-mail regista nomes e datas de alegados pagamentos ilícitos, inclusive o de um médico sírio que recebeu pessoalmente entre US $ 200 e US $ 300 por mês em amostras grátis em troca de encomendar fármacos GSK para o seu hospital rejeitando assim os rivais. Também acusa a empresa de suborno a funcionários do Ministério da Saúde da Síria para obter vacinas para revenda ilegal.

O Departamento de Justiça dos EUA já está a investigar a GSK por possíveis violações da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) e a Serious Fraud Office do Reino Unido lançou uma investigação criminal formal sobre as actividades da GSK no exterior.

Artigos relacionados:

China jails British investigator Humphrey linked to GSK

 

Temos que expulsar os vendilhões do templo.

 

Advertisements

One comment on “Farmacêutica GSK condenada por corrupção na China

  1. voza0db
    22 de Setembro de 2014

    Olá!

    Lá e cá… Neste exemplo “médico sírio que recebeu pessoalmente entre US $ 200 e US $ 300 por mês em amostras grátis em troca de encomendar fármacos GSK para o seu hospital rejeitando assim os rivais.” troca “sírio” por “português” e “$” por “€” e aumenta a quantia e é tudo igual…

    VIVA O SISTEMA MONETÁRIO E AS SUAS ACTUAIS REGRAS!

    Abr
    😎

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: