A Arte da Omissao

Conferência «GMO-FREE EUROPE 2015» em Berlim

“A Nossa Terra, o nosso Futuro, a nossa  Europa – as regiões da Europa têm o direito a determinar as suas próprias formas de agricultura, alimentação, produção e venda de alimentos, de proteger o ambiente e  paisagens, a sua cultura e património, as suas sementes, o seu desenvolvimento rural, seu futuro económico. Isto inclui o direito de decidir sobre o uso de plantas e animais geneticamente modificados na sua agricultura e ecossistemas”.
Este foi o Manifesto de Berlim de 2005, adoptado por 190 participantes na primeira conferência, European GMO-FREE Regions, em Janeiro de 2005.
Passados dez anos depois, organizações não governamentais e cientistas, 64 governos regionais e a associação empresarial Danube Soya“, organizaram a Conferência GMO-FREE EUROPE Future Opportunities and Challenges
Estamos orgulhosos de promover a conferência do 10º aniversário,  de novo em Berlim e estamos ansiosos para uma animada troca de informações e experiências, uma forte declaração de todos os três pilares do movimento contra os OGM na agricultura e alimentos. Estamos ansiosos para ver velhos amigos e conhecer novos activistas e parceiros na ciência, política, instituições, empresas e administrações. Vamos comemorar o sucesso que tivemos ao longo da última década e estamos preocupados com os recentes acontecimentos políticos que os possam desafiar. Estamos empenhados em continuar a nossa luta contra uma Europa com alimentação, agricultura e zonas rurais sustentáveis, livres de OGM.
 Proibição de cultivo de OGM na Europa.
(Realço o milho MON 810, cultura actualmente autorizada em Portugal – NdT)

Austria: Ban on cultivation of Monsanto’s maize MON 810, MON  863 and T25
Notified in June 1999, initially under Article 16 of Directive 90/220/EEC, and subsequently maintained in February 2004 under Article 23 of Directive 2001/18/EC;

France: Ban on cultivation of Monsanto’s maize MON 810.
First notified in February  2008, under Article 23 of Directive 2001/18/EC; and under EU Regulation 1829/2003

Germany: in April 2009 the agriculture Minister, Ms. Aigner, announced a ban on cultivation and sale of MON 810

Greece: Ban on cultivation of Monsanto’s maize MON 810.
Application lodged in April 2005 under Article 18 of Directive 2002/53/EC, and subsequently in January 2006 extended/maintained the measure under Article 23 of Directive 2001/18/EC;

Hungary: Ban on cultivation of Monsanto’s maize MON 810.
Notified in September 2006, under Article 23 of Directive   2001/18/EC;
Ban on cultivation and commercial use of potato Amflora
Notified in June 2010

Italy: (Updated in Aug 2014)
General ban on cultivation of GE corn MON810

Notified by inter-ministerial decree (Health-Environment-Agriculture Ministers) entered into force in August 2013. This ban will stay in place till will be taken – at European level -steps connected to art. 54, comma 3 regulament 178/2002 (CE) and anyway not more than 18 months. 

Luxembourg : Ban on cultivation of Monsanto’s maize MON 810.
Notified in March 2009, under Directive 2001/18/EC
Ban on cultivation and commercial use of potato Amflora
Notified in June 2010

Poland: (Updated in July 2014)
Ban on cultivation of Monsanto’s maize MON 810.
Application lodged in January 2013 under Article 16 of Directive 2002/53/EC (The EU’s Seeds Directive). The ban under the Seeds Directive affects all MON 810 varieties.
Ban on cultivation of BASF’s potato Amflora.Application lodged in January 2013 under Article 16 of Directive 2002/53/EC (The EU’s Seeds Directive).

Romania: Ban on cultivation of MON 810 maize announced by Environment minister Korodi on 27 March 2008.
The Romanian government has indicated that it intends to install the ban on the same legal grounds as France:  under Article 23 of Directive 2001/18/EC; and under EU Regulation 1829/2003. Enactment of the ban is expected in April 2008.

Switzerland: (Updated in July 2014)
In 2005, the Swiss voted by referendum a 5-year moratorium against the commercial cultivation of GM crops and animals. The Swiss government decided to extend this moratorium till 2013.
In 2012 the Swiss Parliament voted for a second extention of the moratorium until December 2017.

Nesta página, pode consultar por país, as suas regiões livres de OGM, basta clicar a bandeira de cada um.

(fonte)

2015-05-07 | Berlim

Riscos de contaminação com OGM são altos, dizem grupos do Canadá, Austrália e Japão

Organizações civis do Canadá, Austrália e  Japão, emitiram um aviso em conjunto, sobre os riscos de contaminação com organismos geneticamente modificados (OGM), após a recente autorização da Comissão da UE de 17 novos produtos OGM para a alimentação humana e animal.

 Aprendam com as lições dos nossos países OGM não vale o risco. Se for permitido, assistirão à contaminação OGM das vossas culturas não OGM que estejam perto e por muitos anos“, disse Jessica Harrison, coordenadora da Aliança para uma Austrália livre de OGM (GMFAA).” (bem sei que os testemunhos que se seguem não são científicos, mas haverá melhor laboratório que a própria Natureza? Estamos a falar de questões ambientais e de contaminação observados sem microscópio -NdT)
A canola GM foi cultivada pela primeira vez na Austrália vez em 2008. A canola GM crescia à beiras das estradas, porque os camiões dispersaram sementes geneticamente modificadas e o pólen GM contaminou o nosso mel. A Tasmania, agora zona livre, continua ainda a erradicar ervas daninhas provenientes dos ensaios de culturas GM ocorridos no final dos anos 90. Em 2010, o agricultor orgânico Steve Marsh, encontrou canola e sementes GM que contaminaram 2/3 de sua fazenda. O seu processo judicial para ser indemnizado, devido ao cultivo de culturas GM do seu vizinho, ainda não está resolvido.
Já passaram 20 anos, desde que o Canadá começou a aumentar o cultivo da canola / colza GM.

Produtores de grãos orgânicos, no Canadá, em grande parte, pararam  de cultivar canola por causa da contaminação transgénica. Para a maioria dos agricultores, já não é possível cultivar, vender e exportar canola orgânica , disse Lucy Sharratt, coordenadora da Rede de Acção Biotecnológica do Canadá.

Cidadãos japoneses agiram rapidamente quando encontraram canola GM a crescer nas estradas, perto dos portos e fábricas de óleos de cozinha.

Nós não cultivamos nada GM no nosso país“, disse Michiyo Koketsu da campanha NO! GMO do Japão. “Infelizmente a canola GM é importada e esmagada aqui. As ervas daninhas transgénicas crescem  a partir das sementes derramadas, as quais  florescem e cruzam com parentes de plantas nativas, tais como a colza, mostarda e brócolos. Uma resposta ad hoc das autoridades japonesas fez com que grupos de cidadãos, arcando eles com as despesas, começassem a eliminar as ervas daninhas GM para evitar novas contaminações.

Notas:
(1) www.abc.net.au/news/2013-05-21/euro-canola-demand/4702890
Europe demanding more Australian non-GM canola
(2) www.producer.com/2013/05/non-gm-canola-oil-demand-has-crusher-scrambling/
Non-GM canola oil demand has crusher scrambling

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 13 de Maio de 2015 by in OGM, Saúde and tagged , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: