A Arte da Omissao

WikiLeaks: FMI prevê desastre grego

Tradução da  IMF Internal Meeting Predicts Greek ‘Disaster’, Threatens to Leave Troika

 Reunião interna do FMI prevê “desastre” grego. Ameaça deixar a troika

de Julian Assange

Hoje, 02 de Abril de 2016, WikiLeaks publica os registos da  teleconferência  de 19 de Março de 2016,  entre  dois altos funcionários do FMI, responsáveis pela gestão da crise da dívida grega – Poul Thomsen, chefe do Departamento Europeu do FMI, e Delia Velkouleskou, Chefe da Missão do FMI para a Grécia. O FMI antecipa um possível incumprimento grego coincidente com o referendo do Reino Unido, que irá decidir se sairá da União Europeia (‘Brexit’).
“Vai ser um desastre”, comenta Delia Velkouleskou na reunião.
De acordo com debate interno, o FMI está a planear informar a Alemanha que irá abandonar a Troika grega (composta pelo FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) se o FMI e a Comissão não chegarem a um acordo sobre o alivio da dívida grega.

Paul Thomsen: “Olhe, Senhora Merkel, você enfrenta a seguinte questão: tem que pensar sobre o que é mais caro,  ir em frente sem o FMI – será que o Bundestag (parlamento da República Federal da Alemanha – Ndt) dirá “o FMI não está a bordo?, ” ou escolher o alívio da dívida, acção que a nosso ver, a Grécia necessita para nos manter a bordo?”

Dentro do FMI, permanece a ideia de que manter-se na troika é cada vez mais difícil, porque os países credores não europeus vêm a  posição do FMI na Grécia como uma violação das suas políticas noutros lugares,  que é a de não fazer empréstimos a países com dívidas insustentáveis.

O FMI anunciou em Agosto, que não iria participar no resgate grego do ultimo ano, no valor  de € 86000000000,  resgate coberto pelos Estados membros da UE. A chefe do FMI, Christine Lagarde, afirmou na época,  que a participação futura do FMI estava condicionada à Grécia receber “um significativo alívio da dívida” dos seus credores. Lagarde anunciou que uma equipe seria enviada para a Grécia, liderada por Velkouleskou.
Thomsen (chefe do Departamento Europeu do FMI) disse internamente que a ameaça de uma iminente catástrofe financeira é necessária para forçar que os outros jogadores cheguem a um “ponto de decisão”. Para a Alemanha, o alívio da dívida, e no caso da Grécia, aceitar as “medidas” de austeridade do FMI – incluindo o aumento dos impostos e o corte nas pensões e condições de trabalho do povo grego. No entanto, o referendo “brexit” da Inglaterra no próximo mês de Julho vai paralisar o poder de decisão da Europa, tornando o momento crítico.
Disse ele:
“Eu não vou aceitar um pacote de pequenas medidas. Não vou  … O que vai  ser feito para que todos cheguem ao ponto de decisão? No passado só ocorreu uma vez,  quando [os gregos] estavam prestes a ficar sem dinheiro e a entrar em incumprimento. [ …] E possivelmente é o que vai acontecer de novo. Neste caso, vai-se arrastar até Julho, e claramente os europeus não discutir nada a um mês antes do Brexits

No ano passado, o Ministro grego das Finanças Tsakalotos, acusou o FMI de impor “medidas draconianas”, incluídas na reforma das pensões. Enquanto Delia Velkouleskou admite na reunião que “O que é interessante, é que embora a [Grécia] tenha desistido … ela fez um pouco nas reformas do imposto sobre os rendimentos e  na ….tanto no crédito de imposto como nas pensões complementares .

Mas a visão de Paul Thomsen é que os gregos “não estão nem de perto no ponto de aceitarem  os nossos pontos de vista.” Velkouleskou (Chefe da Missão do FMI para a Grécia-NdT) argumentou que “se [o governo grego] for suficientemente pressionado, eles irão… Mas eles não têm qualquer incentivo e sabem que a Comissão deseja o compromisso, aqui reside o problema.

Velkouleskou:”Fomos para esta negociação com a estratégia errada, porque nós negociamos com a Comissão uma posição mínima e não podemos ir mais longe [enquanto que] a Comissão está apenas a começar  a partir deste e  está disposta a ir muito mais longe. Então, isto é o problema. Nós não negociamos com a Comissão e de seguida, apresentamos aos gregos algo muito pior, nós apresentamos aos gregos o mínimo que estávamos dispostos a considerar e agora os gregos dizem [que] não estamos a negociar”.
Enquanto a Comissão insiste num excedente orçamental primário do governo (total de impostos menos as despesas do governo, excluindo o pagamento da dívida)  de  3%; o FMI considera que este objectivo deve ser fixado em 1,5% do PIB. Como Thomsen disse, “se a [Grécia] nos der 2,5% [do PIB com aumentos de impostos e cortes nas pensões e salários] … devemos estar totalmente por atrás deles.” — o que significa que o FMI, em troca deste pacote fresco de austeridade, apoia a redução da meta imposta do superavit dos 3,5%, que a Comissão Europeia insiste, para os 1,5%.
Para o FMI, estas metas são descritas como “muito importantes”. Os responsáveis do FMI pedem a  Thomsen “para reforçar a mensagem sobre o acordo dos 2,5%.”
Num determinado ponto, Velkouleskou refere-se a uma solução inusitada: dividir o problema em dois programas com dois objectivos diferentes: “A questão é se [os europeus] aceitariam as metas a médio prazo da Comissão, para efeitos do programa, e os nossos objectivos para a proposta do alívio da dívida”. Thomsen explica ainda que “Eles essencialmente precisam de concordar em fazer com que os nossos objectivos sejam a base e, de seguida, terem algo que eles esperam poder superar. Mas se não o fizerem,  vão ainda desembolsar.”

O EWG [Grupo de trabalho do Euro] precisa de “tomar uma posição sobre se acredita nas nossas projecções ou nas da Comissão.” As projecções de crescimento do FMI são exactamente opostas às da Comissão. A Comissão projecta um crescimento do PIB em 0,5%, e o FMI um declínio do PIB de 0,5% (mesmo se a Grécia aceitar todas as medidas impostas pelo FMI).

Leia em  PDF ou HTML a transcrição da reunião interna do FMI.

 



 

Anúncios

2 comments on “WikiLeaks: FMI prevê desastre grego

  1. Chatice
    25 de Maio de 2016

    Está na obra do TugaExit…

    Gostar

  2. Chatice
    25 de Maio de 2016

    O fim do princípio da subsidariedade na União Europeia
    http://algolminima.blogspot.pt/2016/05/o-fim-do-principio-da-subsidariedade-na.html

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 17 de Maio de 2016 by in FMI, Grécia, Resgates, União Europeia, WikiLeaks and tagged , , , .

Navegação

Categorias

%d bloggers like this: