A Arte da Omissao

Nestlé – Expansão Dramática na privatização da água

O estado de Michigan declarou ter emitido a aprovação preliminar para que a Nestlé  quase triplique a quantidade de água subterrânea que bombeia, para ser engarrafada e vendida na sua fábrica Ice Mountain que se encontra aproximadamente a 120 milhas noroeste da comunidade sitiada de Flint.

“A Divisão de Recursos Hídricos da DEQ realizou uma revisão e aprovou o aumento de bombeamento para Janeiro, mas o Escritório de Água Potável e Assistência Municipal está a aprovar  a licença”, continuou o relatório. A agência está a aceitar a opinião pública sobre a proposta até quinta-feira, 3 de novembro.

Enquanto a Nestlé e outras empresas de água engarrafada irritam muitas comunidades por privatizarem seu abastecimento público de água, as notícias inflamam em Michigan, onde os cidadãos enfrentam ainda o pesadelo de um ano com a contaminação  da sua água potável com chumbo. Muitos moradores de Flint são ainda forçados a confiar em água engarrafada para limpeza, cozinhar e tomar banho, devido às dificuldades na substituição das tubagens enferrujadas, originados por atrasos do governo.

Além disso, a Nestlé, a maior empresa de alimentos do mundo, consegue bombear essa água sem custos. Como o MLive relata, “a lei de Michigan permite que qualquer proprietário de uma propriedade privada, retire  água do aquífero sob sua propriedade de graça, sujeito apenas a uma taxa nominal anual de $ 200. O compacto interestadual dos Grandes Lagos, proíbe desvios de água fora da bacia dos Grandes Lagos, mas a isenção do engarrafamento dentro da lei permite que a água seja vendida fora da região se for embarcada em garrafas com capacidade inferior a 5,7 litros.

“A questão é a privatização de um recurso crítico. Quanto é demais?” Disse Jeff Ostahowski, vice-presidente da Michigan Citizens para a Conservação da Água, que há  luta contra a expansão da Nestlé no estado.

Quando contactado por MLive para comentar, Ostahowski disse que nem sequer tinha conhecimento da nova proposta. Mas à medida que a notícia se espalhava nas mídias sociais, a indignação era palpável. (fonte)

Council of CanadiansBoicote contra Nestlé e produtos de água engarrafada

O Council of Canadians lançou ontem (22/9 2016 ) uma campanha nacional de boicote contra a Nestlé em Guelph. Guelph e a região vizinha do condado de Wellington estão atualmente no ponto zero para uma batalha entre uma comunidade local que protege a sua água e o gigante da água engarrafada

“A crise da água está à nossa porta, aqui no Canadá”, disse Maude Barlow, presidente nacional do Council of Canadians. “Os recursos hídricos subterrâneos são finitos e atualmente sofrem secas, mudanças climáticas e excesso de extração. A este ritmo, não teremos o suficiente para as nossas necessidades futuras. Desperdiçar a nossa água subterrânea limitada em usos frívolos e consumíveis, como a água engarrafada, é a receita para o desastre. Devemos salvaguardar as reservas de água subterrâneas para as comunidades e gerações futuras. “

Este verão, enquanto muitas partes do sul de Ontário enfrentavam condições de seca, a Nestlé continuou a bombear diariamente mais de quatro milhões de litros de água subterrânea de um aquífero perto de Guelph. A Nestlé paga menos de US $ 15 por dia por essa água, que é depois enviada em centenas de milhões de garrafas de plástico de uso único para venda em toda a América do Norte.

O Council of Canadians está a convidar as pessoas a assinarem uma declaração no seu site para boicotar a água engarrafada e a Nestlé. A declaração alerta: “Entre 2011 e 2015, o aquífero que abastece o principal poço de produção da Nestlé caiu cerca de 1,5 metros, enquanto a água da Nestlé aumentou 33% no mesmo período. Enquanto isso, a Nestlé acaba de comprar outro poço em Middlebrook – apesar da tentativa do município local em o  comprar para salvaguardar o suprimento de água municipal.

As operações da Nestlé na Colúmbia Britânica (província do Canada, NdT) também provocaram a oposição das comunidades que tentam proteger as suas águas. Apesar do District of Hope ter experimentado condições de seca de nível 4 no verão passado, a Nestlé continua a extrair 265 milhões de litros de um poço no distrito, localizado no Sto:lo Territory. A Nestlé paga US $ 3,71 por cada milhão de litros que extrai do aquífero de Kawkawa, do qual cerca de 6.000 moradores de Hope dependem. Fonte

documentário Bottled Life sobre a Nestlé

Artigos relacionados: Multinacionais querem privatizar uso da água e Temer negocia

UE Promove a Privatização da Água

Nota: realces desta cor são da minha responsablidade

Como não podemos contar com os governos, mais uma vez eu apelo ao poder que nos foi concedido como consumidores

Vai sentir-se confortável a alimentar o esquema global da privatização da água ?

Vai continuar a ajudar a poluir o planeta com o consumo de água engarrafada?

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: