A Arte da Omissao

os emails de Hillary Clinton e da irmandade muçulmana

Tradução do artigo «Les e-mails d’Hillary Clinton et la Confrérie» de Thierry Meyssan

A investigação do FBI sobre os e-mails privados de Hillary Clinton não são sobre a negligência das regras de segurança, mas sobre um complô que visava eliminar qualquer traço da sua correspondência electrónica quando secretária de Estado, que deveria ser armazenada nos servidores do Estado Federal. Poderia incluir intercâmbios sobre financiamentos ilegais ou corrupção, ou sobre outros laços  do casal Clinton com a Irmandade Muçulmana e os jihadistas.

| Damasco (Síria) | 1 de Novembro de 2016

JPEG - 33.3 kb

O renascimento da investigação do FBI aos e-mails privados de Hillary Clinton não visa mais as questões de segurança, mas o  tráfego de  informação que poderia ir até à  alta traição.

Tecnicamente, em vez de usar um servidor seguro do Governo Federal, a Secretário de Estado instalou na sua casa um servidor privado, para que pudesse utilizar a Internet sem deixar vestígios numa máquina do Estado Federal. O técnico particular de Clinton limpou-o antes da chegada do FBI, não tendo sido possível saber porque ela montou esta rede privada.

Inicialmente, o FBI observou que o servidor privado não tinha a mesma segurança do servidor do Departamento de Estado. Hillary Clinton, portanto, incorreu numa séria falha de segurança. Depois, o FBI apreendeu o computador do ex-congressista Anthony Weiner, ex-marido de Huma Abedin, chefe do gabinete de Hillary. Nele foram encontrados e-mails provenientes da Secretária de Estado.

Anthony Weiner é um político judeu, próximo dos Clinton, que aspirava ser prefeito de Nova York. Ele foi forçado a renunciar depois do escândalo puritano ao enviar mensagens eróticas a uma jovem que não era a sua esposa.

Huma Abedin, chefe do gabinete de Hillary, oficialmente está separada dele, mas na verdade nunca o deixou. É norte-americana criada na Arábia Saudita.

Seu pai dirige uma revista académica – na qual durante alguns anos Huma foi secretária da redação – que reproduz regularmente a opinião da Irmandade Muçulmana.

Sua mãe preside a associação saudita das mulheres membros da Irmandade e trabalhou com a esposa do presidente egípcio,  Mohamed Morsi.

Seu irmão Hassan trabalha por conta do xeque Yusuf al-Qaradawi, o pregador da Irmandade e conselheiro espiritual da Al-Jazeera.

 JPEG - 50.5 ko

Por ocasião de uma visita oficial à Arábia Saudita, a Secretária de Estado visita o colégio Dar al-Hekma na companhia de Saleha Abedin (mãe da sua chefe de gabinete), presidente da Associação das Irmãs membros da Irmandade Muçulmana

Huma Abedin é agora a figura central da campanha de Clinton, ao lado do seu director, John Podesta, ex-secretário-geral da Casa Branca no governo de Bill Clinton. Podesta é também o lobista oficial no congresso contractado pelo Reino da Arábia Saudita, pela módica quantia de 200 mil dólares mensais.

A 12 de Junho de 2016, Petra, a agência oficial de notícias da Jordania, publicou uma entrevista com o príncipe herdeiro saudita, Salman bin Mohamed, onde este referenciou a modernidade da sua família ao ter financiado ilegalmente 20% da campanha presidencial de Hillary Clinton, embora esta fosse uma mulher. Um dia depois desta publicação, a agência cancelou a expedição e assegurou que o seu site tinha sido invadido.

JPEG - 32.3 ko

Segundo a agência oficial jordana Petra, a 12 de Junho de 2016, a família real saudita financiou ilegalmente 20 % da campanha presidencial de Hillary Clinton.

Ms. Abedin não é o único membro da administração Obama ligado à Irmandade Muçulmana. O meio-irmão do presidente, Abon’go Malik Obama, é o tesoureiro da Obra Missionária dos Irmãos Muçulmanos no Sudão e Presidente da fundação Barack H. Obama. Ele está diretamente sob o comando do Presidente sudanês Omar al-Bashir. Um irmão muçulmano é membro do Conselho Nacional de Segurança – a mais alta instância executiva dos Estados Unidos.

Foi o caso de Mehdi K. Alhassani de 2009 a 2012. Não se sabe o que sucedeu, mas a Casa Branca negou que um Irmão fosse membro do Conselho de Segurança até esta prova surgir. Rashad Hussain, é também um Irmão e é o embaixador dos EUA junto à Conferência Islâmica. Outros Irmãos identificados ocupam funções menos importantes. Deve-se no entanto citar que , Louay M. Safi, actual membro da Coligação Nacional Síria e antigo conselheiro do Pentágono.

JPEG - 25.1 ko

O Presidente Obama e o seu meio-irmão Abon’go Malik Obama na Sala Oval. Abon’go Malik é o tesoureiro da Obra missionária dos Irmãos Muçulmanos no Sudão.

Em abril de 2009, dois meses antes do seu discurso no Cairo, o presidente Obama secretamente recebeu uma delegação da Irmandade no Escritório Oval. Obama, aquando da sua tomada de posse, convidou Ingrid Mattson, presidente da Associação das Irmãs e Irmãos Muçulmanos nos Estados Unidos.

Por seu lado, a Fundação Clinton empregou como responsável pelo seu projecto “Climat”, Gehad el-Haddad, um dos líderes mundiais da Irmandade que havia sido até então, responsável por um programa de TV corânico. Seu pai foi um dos cofundadores da Irmandade em 1951, data em que foi recriada pela CIA e MI6. Em 2012, Gehad deixou a fundação, data em que no Cairo, se tornou o porta-voz do candidato Mohammed Morsi, e depois a nível mundial da Irmandade Muçulmana.

Sabendo que todos os líderes jihadistas do mundo têm origem na Irmandade Muçulmana ou na Ordem Sufi Naqshbandi – as duas componentes da Liga Islâmica Mundial, a organização saudita anti-nacionalista árabe – gostaríamos de saber mais sobre as relações de Hillary com a Arábia Saudita e com a Irmandade.

Acontece que na equipa do seu adversário Donald Trump, está o General Michael T. Flynn, o qual tentou opor-se à criação do Califado pela Casa Branca e se demitiu da direção da Defense Intelligence Agency (Agência de Inteligência de Defesa – ndT) para marcar a sua desaprovação. Está acompanhado por Frank Gaffney, um  guerreiro  histórico da guerra fria, agora qualificado como «conspiracionista» ao ter denunciado a presença da Irmandade no seio do Governo Federal.

Thierry Meyssan

 

 

One comment on “os emails de Hillary Clinton e da irmandade muçulmana

  1. voza0db
    5 de Novembro de 2016

    Killary a presidenta!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 5 de Novembro de 2016 by in DIANTE DOS NOSSOS OLHOS, O mundo visto ao microscópio, USA and tagged , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: