A Arte da Omissao

ACORDEM

os emails de Hillary Clinton e a irmandade muçulmana

Tradução do artigo «Les e-mails d’Hillary Clinton et la Confrérie» de Thierry Meyssan

A investigação do FBI sobre os e-mails privados de Hillary Clinton não são sobre a negligência das regras de segurança, mas sobre um complô que visava eliminar qualquer traço da sua correspondência electrónica quando secretária de Estado, e que deveria ser armazenada nos servidores do Estado Federal. Poderia incluir intercâmbios sobre financiamentos ilegais ou corrupção, ou sobre outros laços do casal Clinton com a Irmandade Muçulmana e os jihadistas.

| Damasco (Síria) | 1 de Novembro de 2016

JPEG - 33.3 kb

O renascimento da investigação do FBI aos e-mails privados de Hillary Clinton não visa mais questões de segurança, mas o  tráfego de  informação que poderia ir até à  alta traição.

Tecnicamente, em vez de usar um servidor seguro do Governo Federal, a Secretário de Estado instalou na sua casa um servidor privado, para que pudesse utilizar a Internet sem deixar vestígios numa máquina do Estado Federal. O técnico particular de Clinton limpou-o antes da chegada do FBI, não tendo sido possível saber porque ela montou esta rede privada.

Inicialmente, o FBI observou que o servidor privado não tinha a mesma segurança  que o servidor do Departamento de Estado. Assim,  Hillary Clinton, incorreu numa séria falha de segurança. Depois, o FBI apreendeu o computador do ex-congressista Anthony Weiner, ex-marido de Huma Abedin, chefe do gabinete de Hillary. Nele foram encontrados e-mails provenientes da Secretária de Estado.

Anthony Weiner é um político judeu, próximo dos Clinton, que aspirava a ser prefeito de Nova Iorque. Weiner foi forçado a renunciar depois do escândalo puritano ao enviar mensagens eróticas a uma jovem que não era a sua esposa.

Huma Abedin, chefe do gabinete de Hillary, oficialmente está separada dele, mas na verdade nunca o deixou. É norte-americana criada na Arábia Saudita.

Seu pai dirige uma revista académica – na qual durante alguns anos Huma foi secretária da redacção – que reproduz regularmente a opinião da Irmandade Muçulmana.

Sua mãe preside a associação saudita das mulheres membros da Irmandade e trabalhou com a esposa do presidente egípcio,  Mohamed Morsi.

Seu irmão, Hassan trabalha por conta do xeque Yusuf al-Qaradawi, o pregador da Irmandade e conselheiro espiritual da Al-Jazeera.

 JPEG - 50.5 ko

Por ocasião de uma visita oficial à Arábia Saudita, a Secretária de Estado visita o colégio Dar al-Hekma na companhia de Saleha Abedin (mãe da sua chefe de gabinete), presidente da Associação das Irmãs membros da Irmandade Muçulmana

Huma Abedin é agora a figura central da campanha de Clinton, ao lado do seu director, John Podesta, ex-secretário-geral da Casa Branca no governo de Bill Clinton. Podesta é também o lobista oficial no congresso contratado pelo Reino da Arábia Saudita, pela módica quantia de 200 mil dólares mensais.

A 12 de Junho de 2016, Petra, a agência oficial de notícias da Jordânia, publicou uma entrevista com o príncipe herdeiro saudita, Salman bin Mohamed, onde este referenciou a modernidade da sua família ao ter financiado ilegalmente 20% da campanha presidencial de Hillary Clinton, embora esta fosse uma mulher. Um dia depois desta publicação, a agência cancelou a expedição e assegurou que o seu site tinha sido invadido.

JPEG - 32.3 ko

Segundo a agência oficial jordana Petra, a 12 de Junho de 2016, a família real saudita financiou ilegalmente 20 % da campanha presidencial de Hillary Clinton.

Ms. Abedin não é o único membro da administração Obama ligado à Irmandade Muçulmana. O meio-irmão do presidente, Abon’go Malik Obama, é o tesoureiro da Obra Missionária dos Irmãos Muçulmanos no Sudão e Presidente da fundação Barack H. Obama. Ele está directamente sob o comando do Presidente sudanês Omar al-Bashir. Um irmão da irmandade Muçulmana é membro do Conselho Nacional de Segurança – a mais alta instância executiva dos Estados Unidos.

Foi o caso de Mehdi K. Alhassani de 2009 a 2012. Não se sabe o que sucedeu, mas a Casa Branca negou que um Irmão fosse membro do Conselho de Segurança até esta prova surgir. Rashad Hussain, é também um Irmão e é o embaixador dos EUA junto à Conferência Islâmica. Outros Irmãos identificados ocupam funções menos importantes. Deve-se no entanto citar que, Louay M. Safi, actual membro da Coligação Nacional Síria e antigo conselheiro do Pentágono.

JPEG - 25.1 ko

O Presidente Obama e o seu meio-irmão Abon’go Malik Obama na Sala Oval. Abon’go Malik é o tesoureiro da Obra missionária dos Irmãos Muçulmanos no Sudão.

Em Abril de 2009, dois meses antes do seu discurso no Cairo, o presidente Obama secretamente recebeu uma delegação da Irmandade Muçulmana no Escritório Oval. Obama, aquando da sua tomada de posse, convidou Ingrid Mattson, presidente da Associação das Irmãs e Irmãos Muçulmanos nos Estados Unidos.

Por seu lado, a Fundação Clinton empregou como responsável pelo seu projecto “Climat”, Gehad el-Haddad, um dos líderes mundiais da Irmandade que havia sido até então, responsável por um programa de TV corânico. Seu pai foi um dos co-fundadores da Irmandade em 1951, data em que a Irmandade foi recriada pela CIA e MI6. Em 2012, Gehad deixou a fundação, data em que no Cairo, se tornou porta-voz do candidato Mohammed Morsi e depois a nível mundial da Irmandade Muçulmana.

Sabendo que todos os líderes jihadistas do mundo têm origem na Irmandade Muçulmana ou na Ordem Sufi Naqshbandi – as duas componentes da Liga Islâmica Mundial, organização saudita anti-nacionalista árabe – gostaríamos de saber mais sobre as relações de Hillary com a Arábia Saudita e com a Irmandade.

Acontece que na equipa do seu adversário Donald Trump, está o General Michael T. Flynn, o qual tentou opor-se à criação do Califado pela Casa Branca e se demitiu da direcção da Defense Intelligence Agency (Agência de Inteligência de Defesa – ndT) para marcar a sua desaprovação. Está acompanhado por Frank Gaffney, um  guerreiro  histórico da guerra fria, agora qualificado como «conspirador» ao ter denunciado a presença da Irmandade no seio do Governo Federal.

Thierry Meyssan

 

 

One comment on “os emails de Hillary Clinton e a irmandade muçulmana

  1. voza0db
    5 de Novembro de 2016

    Killary a presidenta!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 5 de Novembro de 2016 by in Irmandade Muçulmana, USA and tagged , , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: