A Arte da Omissao

Finalmente, pela primeira vez na história, é o exército dos EUA que vem para terras Sioux para ajudar

Army veterans forming human shield to protect NoDAPL protesters at Standing Rock

Marcha de veteramos com activistas fora do campo Oceti Sakowin, em Dezembro de 2016 © Stephen Yang / Reuters

Veteranos do Exército formam escudo humano para proteger manifestantes NoDAPL em Standing Rock

Veteranos dos EUA estão a regressar a Standing Rock para apoiar e proteger os manifestantes nativos americanos contra a construção do Dakota Access Pipeline, apesar da ordem executiva do Presidente Trump em continuar a construção do gasoduto estimado em US $ 3,7 bilhões.

Os veteranos estão a reunir-se em Cannon Ball, Dakota do Norte, com muitos a irem a caminho.

“Estamos preparados para colocar nossos corpos entre os anciãos nativos e uma força militar privatizada”, disse a veterana da Força Aérea Elizabeth Williams ao Guardian. “Já enfrentamos antes o fogo. Sentimos a responsabilidade de usar as habilidades que temos “.

A tribo Standing Rock Sioux prometeu combater a ordem do presidente para avançar com o gasoduto, apesar do Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA terem declarado que iriam cancelar o seu já planeado estudo de impacto ambiental e conceder uma licença para a construção da fase final do oleoduto.

Os campos de protesto estão a ser preparados para inundações esperadas à medida que as temperaturas aumentam. A presença dos veteranos representará um desafio para os policiais que desejam remover os protectores da água da área.

Anteriormente, os confrontos entre funcionários de segurança e manifestantes foram violentos, com a polícia a usar canhões de água, balas de borracha e gás lacrimogéneo contra os manifestantes. Os empreiteiros também usaram cães contra nos manifestantes.

O grupo de veteranos está a angariar fundos para os manifestantes que continuam a resistir à construção do gasoduto pela Energy Transfer Partners, e conseguiu até ao momento cerca US $ 220.000 até agora. O aumento da “turbulência e incerteza” em Standing Rock inspirou-os a agir.

Mais de 1.000 veteranos chegaram a Standing Rock em Dezembro. Enquanto lá, pediram desculpas aos nativos americanos pelo tratamento dado pelo governo dos EUA aos povos indígenas do país. Veterans Stand não esperam a mesma presença de veteranos como antes, mas dará apoio aos campos através da captação de recursos.

“O maior equívoco é que o Veterans Stand queiram fazer qualquer coisa agressiva em resposta”, disse o fundador e veterano Michael Wood Jr à CNN. “As pessoas querem fazer algo e simplesmente não sabem o que fazer. Nós só queremos dar às pessoas uma plataforma.”

“Nós não estamos aqui como lutadores, mas como protectores”, disse Jake Pogue, um veterinário do Corpo de Fuzileiros Navais, ao Guardian. “O nosso papel nesta situação será simplesmente para formar uma barreira entre os protectores da água e a força policial”.

“Finalmente, pela primeira vez na história, é o exército dos EUA que vem para terras Sioux para ajudar, em vez de vir para a terra Sioux para matar nativos”, disse o veterano Dan Luker.

fonte

Nota: links são da minha responsabilidade

artigos relacionados: Dakota Access Pipeline

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: