A Arte da Omissao

Quem está a usar a imprensa e poder judiciário contra Trump & Fillon?

Tradução do artigo

Who is Using the Press and the Judicial System Against Trump & Fillon?

de Thierry Meyssan

Como é possível não ficar impressionado com a semelhança entre as campanhas destinadas a derrubar Donald Trump e François Fillon? Como deixar de observar que esses dois homens, com personalidades e ideologias muito diferentes, ameaçam os mesmos interesses?

| Damasco (Síria) | 11 de Fevereiro 2017

No mundo ocidental, grandes campanhas de imprensa desenvolvem-se ao mesmo contra o presidente dos EUA Donald Trump e, em menor medida, contra o candidato presidencial francês François Fillon. O primeiro é acusado de ser um supremacista branco irresponsável e o segundo de ter cometido o que é descrito como uma falta moral não sancionada por lei.

Há apenas um ano, ninguém poderia ter imaginado tais campanhas contra um ex-primeiro-ministro francês e ainda menos contra o actual presidente dos Estados Unidos da América.

Estas campanhas exibem os dez princípios tradicionais da propaganda de guerra, como observado por Lord Arthur Ponsonby (Falsehood in Wartime) em 1928 e depois especificado pela professora Anne Morelli no (Elementary Principles of War Propaganda) – (Princípios Elementares da Propaganda de Guerra-Ndt):

Lamentamos este confronto com um presidente em exercício (EUA) e durante uma campanha presidencial (França).  

 Os Srs. Trump & Fillon são os únicos responsáveis pelo que acontece.

 Os Srs. Trump & Fillon são personalidades perigosas.

 Nós defendemos uma causa nobre, a dos princípios da nossa Constituição (USA) e a da igualdade (França), enquanto os Srs. Trump & Fillon só se preocupam com as suas fortunas pessoais.

 Os Srs. Trump & Fillon comportam-se muito mal. O primeiro ataca os muçulmanos, o segundo é um ladrão. Certo, nós também cometemos erros, mas nunca na mesma escala.

 Os Srs. Trump & Fillon utilizam métodos não ortodoxos.

 Os Srs. Trump & Fillon estão em perda. O primeiro acaba de ser desautorizado pelos tribunais federais, o segundo pelas sondagens.

 Os artistas e intelectuais partilham a nossa indignação.

 A nossa causa é uma causa sagrada.

 Aqueles que põem em dúvida os média não são nem verdadeiros Americanos, nem verdadeiros Franceses.

Nos dois casos, a campanha é acompanhada por acções judiciais que estão destinadas ao fracasso. O primeiro visa invalidar um decreto de imigração, embora seja perfeitamente legal e constitucional, enquanto o segundo é para justificar investigações policiais quando o alvo não é suspeito de qualquer violação da lei. Essas acções prosperam contra a lógica. Quem é capaz de operar tanto os média como o poder judicial?

Dada a natureza internacional dessas campanhas, é claro que seus patrocinadores não estão a responder a questões nacionais e não são cidadãos comuns americanos ou franceses.

Em anos anteriores, tais campanhas tiveram lugar sob a instigação da NATO. A mais recente é a da República Árabe Síria. No entanto, desta vez, não existem indícios para acusar a NATO de agir contra a Casa Branca ou de estar a perturbar as eleições presidenciais francesas.

Além da hipótese da NATO ser um patrocinador principal, pode-se imaginar uma coligação de interesses financeiros transnacionais capazes de influenciar uns poucos magnatas da imprensa. O efeito gregário que faz com que os restantes os sigam.

1_-_1_5_-115-e41e2O New York Times soa o alarme: Donald Trump prepara-se  para banir a Irmandade Muçulmana.

Que interesses se sentem ameaçados por estes dois homens ao ponto de organizarem tais campanhas?

A única coisa em comum entre Srs. Trump e Fillon é o quererem acabar com o imperialismo instalando, sempre que possível, a cooperação em vez do confronto. Enquanto muitos outros políticos por esse mundo estão a defender esse objectivo, Trump e Fillon são os únicos a levá-lo à sua conclusão lógica. De acordo com eles, não será possível restaurar a paz e a prosperidade sem primeiro pôr fim à instrumentação do terrorismo islâmico, sem libertar o mundo muçulmano do domínio dos jihadistas e sem chegar ao ponto de atacar a matriz do terrorismo: a Irmandade Muçulmana. 

 

Nota: link desta cor é da minha responsabilidade

Anúncios

One comment on “Quem está a usar a imprensa e poder judiciário contra Trump & Fillon?

  1. Carlos Aloir
    4 de Março de 2017

    Sou a favor do Sr. Trump e a todos que defendem seu país em qualquer parte do mundo contra o nazismo rebatizado, mas que não engana, pois a ideologia é a mesma.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 3 de Março de 2017 by in França, Irmandade Muçulmana, USA and tagged , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: