A Arte da Omissao

França – Macron: colocar as finanças a gerir directamente a França

Macron Pierre Le Vigan

Macron : mettre la France en régie directe par la finance

de Pierre Le Vigan, escritor, jornalista e jurista

Trata-se de colocar directamente no poder  os homens da casta financeira, atlantista, globalista, alinhados com Bruxelas

Macron pretende patrocinar novos rostos. É um dos seus embustes.

Novos rostos? Qual é o objectivo? Para fazer o quê de novo? Se os rostos são novos em torno de Macron é porque o projecto é  para:

  • passar para a dominação em regime directo da oligarquia em França. Depois de um Sarkozy, por vezes incontrolável, com um Hollande rapidamente desacreditado, trata-se de colocar directamente no poder  homens da casta financeira, atlantista, globalista, alinhados com Bruxelas, que na realidade dirige o país desde 1983. Nada de novo, muito pelo contrário. O projecto Macron? Este é o projecto bobo de uma sociedade cada vez mais “cool”. “A coisa pior que as cadeias das correntes, é já não se sentir o seu peso”, escreveu Gérard Bauër.

Uma figura emblemática desses homens de Macron é Daniel Cohn-Bendit, um veterano liberal-libertário. Um Richard Descoings, tão emblemático do espírito Macron, infelizmente não está lá mais para ilustrar a sua ideologia. Entre os “macroniens”, estão também os  ex-esquerdistas, ex-trotskistas em geral.

Não se trata, evidentemente, da crítica da mercadoria que nos impulsiona, mas a sua antiga obsessão para acabar com as identidades de todos os povos. Entre o indivíduo e a humanidade, nada se deve interpor, nenhuma mediação. Para eles, há um povo na França, no máximo um povo da França, mas não o povo francês. Neste sentido, esses esquerdistas convertidos, estão em perfeita consonância com os outros liberais que apoiam Macron. Os esquerdistas contra o estalinismo tornaram-se anti-russos: é a perspectiva de um mundo multipolar que eles não suportam.

No elitismo republicano nas escolas, eles opõem-se à escola com descontos, na qual, por muito tempo, a leitura dos jornais da castas mediáticas substituíram as ciências humanas. À igualdade, opõem-se à diversidade, desde que os sinais externos sejam reduzidos. À fraternidade, opõem-se à luta contra as descriminações, até mesma contra a descriminação positiva. Enfim, meus amigos, é a ciência financeira.

Que Macron seja um zero em muitos aspectos é uma coisa, que os  “macroniens” têm um projecto preciso para acentuarem a desconstrução da personalidade da nossa nação, a liquidação da soberania, a venda das suas recentes liberdades, ele não tem duvidas.

artigos relacionados;

Da Fundação Saint-Simon a Emmanuel Macron

Advertisements

One comment on “França – Macron: colocar as finanças a gerir directamente a França

  1. voza0db
    7 de Maio de 2017

    Boas 😉

    Como escrevi aqui

    “Têm como escolha “DOIS SALAFRÁRIOS”!

    Um deles – o umano macho – ligado directamente a uma das Famílias DONAS DO SISTEMA (a Rothschild), será sem dúvida um “presidente” a trabalhar em prol da MANADA DE ESCRAVOS BOÇAIS!

    O outro – a umana fêmea – totalmente destruída pelos dogmas de Pátria, Nação e Tradição!”

    NADA COMO OBSERVAR A MANADA A SEGUIR OS DONOS!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 7 de Maio de 2017 by in DIANTE DOS NOSSOS OLHOS, França and tagged , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: