A Arte da Omissao

ACORDEM

Criminoso ou denunciante? A história do homem que está por trás das fugas de dados relativos ao futebol

Notas do tradutor: links dentro de «» e realces desta cor são da minha responsabilidade

Tradução do artigo Criminal or whistleblower? The story of the man behind Football Leaks

de Ed Aarons, do the Guardian (relembro que este orgão de comunicação inglês, foi um dos escolhidos pelo denunciante Snoden, para expor ao mundo o sistema criminoso de vigilância e espionagem global levado a cabo pela agência de segurança nacional norte americana, NSA.- Ndt)

Na terça-feira passada, um tribunal húngaro aprovou a extradição de Rui Pinto para Portugal para enfrentar acusações negadas por ele.

A free Rui Pinto banner held by Borussia Dortmund fans at Wembley this month.

Faixa com a mensagem – Libertem Rui Pinto – ,  de fans do Borussia Dortmund em  Wembley este mês. Photografia: Mark Leech/Offside/Getty Images

“Mantém-te forte Rui Pinto”. Frase que se pode ler numa faixa em Freiburg durante o empate de 3 a 3 da equipe alemã com o Wolfsburg no mês passado.

A mais de 1.600 km a leste e após uma breve audiência na terça-feira, um tribunal húngaro decidiu que o homem de 30 anos que abandonou o seu curso de história na universidade e que é acusado de ser o cérebro que está por trás de uma das maiores fugas de dados relativos ao desporto profissional, é extraditado para Portugal.

Pálido e com o cabelo espetado, Pinto – que expressou os seus agradecimentos aos apoiantes de Augsburg e Paderborn no Twitter, após terem exibido faixas semelhantes – não parece exactamente um criminoso. O site Football Leaks, desde a sua criação em Setembro de 2015, divulgou alegações sobre o que seu criador descreve como “práticas ilícitas que afectam o mundo do futebol”, tais como a evasão fiscal de Cristiano Ronaldo e José Mourinho ou os e-mails internos usados para acusar o Manchester City de violação dos Regulamentos do Financial Fair Play da Uefa.

Quase três anos depois de Pinto ter sido publicamente falado pelo jornal espanhol Marca, foi detido por um mandado de prisão europeu da polícia portuguesa há seis semanas e agora responde a acusações de “extorsão, violação de sigilo e acesso ilegal a informações” no país do seu nascimento.

“Estou nervoso porque sou alvo de ataques, especialmente de fãs do Benfica”, disse Pinto ao jornal alemão Der Spiegel numa entrevista no mês passado. “Desde o Outono passado, que recebo ameaças de morte em massa no Facebook. Receio que, se ponho os pés numa prisão portuguesa, especialmente em Lisboa, não sairei de lá vivo. ” (porquê questionar o seu medo? Não há na história, nenhum delator que não tenha receios. Por exemplo, Snowden está vivo porque a Rússia lhe deu asilo. E porque não regressou aos EUA? Porque o que divulgou mexeu com grandes segredos não lícitos, mexeu com entidades poderosas. Rui Pinto divulgou más condutas da organização Industrial Poderosa que se chama futebol. O que difere ?- Ndt)

Pinto trabalhou sob o pseudónimo de “John” em conjunto com o Der Spiegel e outros membros da rede jornalística conhecida como European Investigative Collaborators, e estima-se que a sua rede forneceu cerca de 70 milhões de documentos e 3,4 terabytes de informações, incluindo e-mails pessoais de algumas das figuras mais influentes do desporto. “Eu iniciei um movimento espontâneo de revelações sobre a indústria do futebol”, explicou ele. “Então, eu não sou o único envolvido. Com o tempo, mais e mais novas fontes foram adicionadas e que partilharam o seu material comigo, e o banco de dados foi crescendo”.

Tendo revelado pela primeira vez acordos de terceiros entre o FC Twente e os agentes da Doyen Sports, que quebraram as regras da Federação Holandesa de Futebol – revelação que levou o Twente a ser banido do futebol europeu por três anos – é alegado que nos finais de 2015 Pinto virou o seu olhar para a liga nacional em Portugal.

Utilizando o que o relatório da Marca descreveu como “uma série de técnicas de hacking para recolher informações e divulgar detalhes relacionados com contractos de jogadores de várias equipas”, como Benfica, Sporting e Porto, é alegado que inicialmente tentou chantagear a Doyen em mais de € 500.000 para não divulgar informações sensíveis relacionadas com os jogadores representados pela agência, antes de as publicar no site do Mercado de Benfica, o qual permanece ainda activo.

O Porto foi recentemente multado em 50 mil francos suíços pela Fifa por ter permitido que a Doyen influenciasse as transferências do clube, com uma declaração do corpo directivo de futebol que refere que o clube tinha “firmado contractos que permitiam que terceiros tivessem influência na independência do clube e em assuntos relacionados com as políticas de transferência”.

Entretanto, tal foi o peso das alegações publicadas durante os 12 meses seguintes pelo site Football Leaks contra figuras como Ronaldo, Mourinho e Lionel Messi, que a comissão de inquérito do Parlamento Europeu sobre branqueamento de capitais começou a investigar a evasão de impostos “epidémica”, no jogo de Setembro de 2017.

Tinha passado mais um ano quando a revista Sábado, publicou em Portugal uma reportagem exclusiva onde revelou que a polícia local tinha identificado Rui Pinto, como o principal suspeito no caso Benfica, descrevendo-o como um “génio da informática”.

Alguns dias depois, surge um artigo na página do Facebook do Football Leaks que parecia insultar a polícia de Portugal com a seguinte mensagem: “PJ está à procura de mim? LOL #catchmeifyoucan ”, embora Pinto negue que tenha algo a ver com ela. “Isto mudou a minha vida”, disse ele acerca da história. “Minha fotografia estava nas folhas de rosto em todo o país. A minha conta no Facebook, a minha caixa de correio electrónico foram posteriormente inundadas com ameaças de morte. ”

No final de Setembro de 2018, Kathryn Mayorga recuou no acordo da não divulgação que tinha assinado com os advogados de Ronaldo e divulgou as suas alegações de estupro contra o atacante de Portugal. A chave para o caso dela eram documentos que pareciam apoiar as suas reivindicações e que teriam sido obtidas através do site Football Leaks, embora os advogados de Ronaldo subsequentemente os rejeitaram como tendo sido fabricados por hackers.

Seis semanas depois, surge a publicação de uma nova lista de denúncias do Football Leaks que visou mais uma vez a organização do futebol. O presidente da Fifa, Gianni Infantino, foi retractado como ter desempenhado um papel central nas negociações que levaram a um acordo, quando o City e Paris Saint-Germain foram acusados de quebrar as regras da FFP – alegação que foi rejeitada como sendo uma tentativa para “minar a nova liderança da Fifa ”.

Enquanto isso, os planos dos clubes de elite para a Superliga Europeia a começar em 2021 foram revelados em e-mails vazados e enviados ao presidente do Real Madrid, Florentino Pérez.

Pinto foi preso no dia 16 de Janeiro de 2019 em Budapeste, para onde se tinha mudado à vários anos.

“Para mim, é realmente estranho que tenham demorado três anos para encontrar alguém, de quem tinham uma foto e sabiam onde morava“, diz Pippo Russo, sociólogo da Universidade de Florença que é especialista em futebol. “Na minha opinião, Rui Pinto não é um criminoso – é um denunciante e deve ser protegido a todo o custo.” (concordo em pleno e só não vê isso, quem tiver o rabo preso ou for um fan cego pelo fanatismo – Ndt)

Com o francês William Bourdon – ex-advogado de Edward Snowden – advogado que o representa, Pinto insistiu que “nem um único centavo foi pago” a ele durante a correspondência com a Doyen, mas admitiu ter sido “ingénuo”. “Olhando agora para trás, eu arrependo-me”, disse ele. “Mas repito que nego ter cometido qualquer crime.”

William Bourdon, de nacionalidade francesa, tem quase quarenta anos de experiência e já representou alguns dos denunciantes mais famosos ao nível mundial: Julian Assange, fundador da WikiLeaks, organização que se dedica à divulgação de documentos secretos de governos e empresas; o norte-americano Edward Snowden, que vive agora exilado na Rússia, e que denunciou as práticas da vigilância da NSA; Hervé Facliani, responsável pelo SwissLeaks, que expôs práticas de evasão fiscal na filial suíça do HSBC entre 2006 e 2007; Antoine Deltour, que denunciou os LuxLeaks, e que revelou os detalhes de um esquema de evasão fiscal de 343 grandes empresas internacionais – Ndt

Pippo Russo, sociólogo da Universidade de Florença que é especialista em futebol. acredita que há muito mais em jogo do que a liberdade de apenas um homem. “Há muitas pessoas do futebol que o querem ver na cadeia e esperam que com ele preso, os vazamentos parem”, diz ele. “Mas não acho que parar apenas uma pessoa o faça para sempre. É um pensamento positivo.”

Russo acrescenta ainda: “isto poderia ser um verdadeiro marco para o mundo do futebol, porque poderia ajudar a criar um legado para o futuro que permita que outras pessoas se apresentem para revelar irregularidades sem medo de serem processadas“.  No entanto, com os tribunais tendo agora decidido o contrário, Pinto agora enfrenta a sentença de prisão que ele tanto teme.

——————————————————-

Quem é delator? É quem leva ao conhecimento de uma autoridade, informações relevantes sobre actos ilícitos ou criminais.

vídeo relacionado

Artigos relacionados:

Rui Pinto, delator de fugas sobre futebol vai ser extraditado para Portugal   – da  Sports Ilustrade

Tribunal da Hungria manda extraditar denunciante do Futebol Leaks para Portugal   – da  Deutsche Welle

A entrevista na Integra a Rui Pinto: “Tenho medo de entrar numa prisão portuguesa, principalmente em Lisboa, e não sair de lá vivo”

“Budapeste. A enorme porta que leva ao pátio de um velho prédio de habitação só pode ser aberta através de um código de acesso com múltiplos dígitos. A escada é fria e escura. No segundo andar, um portão de segurança bloqueia os escassos metros que levam ao apartamento de John. É aqui que vive, em prisão domiciliária, o whistleblower (denunciante) por trás do Football Leaks, o homem que abalou o mundo do futebol nos últimos três anos como um fantasma, usando o nome de código “John”. Os dados fornecidos por “John” levaram a revelações extraordinárias e resultaram em inúmeras investigações por toda a Europa. O whistleblower entregou mais de 70 milhões de documentos….”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 9 de Março de 2019 by in Football Leaks and tagged , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: