A Arte da Omissao

ACORDEM

Cientistas da Universidade Monash identificaram um possível fármaco para a COVID-19

Nota do tradutor, links dentro de «» e realces desta cor são da minha responsabilidade

Tradução do artigo Possible coronavirus drug identified by Monash University scientists

3 de Abril de 2020

. Um estudo liderado pela Universidade Monash (Austrália -Ndt), mostrou que um medicamento antiparasitário disponível em todo o mundo pode matar o vírus SARS-COV2 em 48h.

. Os cientistas mostraram que uma dose única do medicamento Ivermectina, pode interromper o crescimento do vírus SARS-CoV-2.

. Os próximos passos é determinar a dosagem humana correcta – garantindo que as doses apresentadas para tratar efectivamente o vírus in vitro sejam seguras para os seres humanos.

. O uso da ivermectina no combate à COVID-19 depende dos testes pré-clínicos e ensaios clínicos, sendo necessário financiamento urgente para o progresso do trabalho.

. A ivermectina é um medicamento antiparasitário aprovado pela FDA que também demonstrou ser eficaz in vitro contra uma ampla gama de vírus, incluindo vírus HIV, Dengue, Influenza e Zika.

. Os resultados do estudo foram publicados hoje na Antiviral Research.

Um estudo colaborativo liderado pelo Instituto Monash Biomedicine Discovery (BDI) com o Instituto Peter Doherty Institute of Infection and Immunity (Doherty Institute), com a associação entre a Universidade de Melbourne e o Hospital Royal Melbourne, mostrou que um medicamento antiparasitário disponível em todo o mundo, mata o vírus em 48 horas.

Drª Kylie Wagstaff

A Dra. Kylie Wagstaff, do Insituto Monash Biomedicine Discovery que liderou o estudo, disse que os cientistas mostraram que a droga Ivermectina interrompeu o crescimento do SARS-CoV-2 em culturas de células em 48 horas.

“Descobrimos que mesmo uma dose única pode remover essencialmente todo o ARN viral às 48 horas e que mesmo às 24 horas ocorreu uma redução realmente significativa”, disse a Dr.ª Wagstaff.

A Ivermectina é um medicamento antiparasitário aprovado pela FDA que também demonstrou ser eficaz in vitro contra uma ampla gama de vírus, incluindo vírus HIV, Dengue, Influenza e Zika.

A Dr.ª  Wagstaff alertou que os testes conduzidos no estudo foram in vitro e que os testes precisavam de ser realizados em pessoas.

“A ivermectina é amplamente utilizada e vista como uma droga segura. Precisamos descobrir agora se a dosagem que pode ser usada nos humanos será eficaz – esse é o próximo passo “, disse Wagstaff.

“Nos momentos em que estamos perante uma pandemia global e não há um tratamento aprovado, se tivéssemos um composto que está disponível em todo o mundo, poderia ajudar as pessoas mais cedo. Realisticamente, levará um tempo até que uma vacina esteja amplamente disponível. “

Embora o mecanismo pelo qual a Ivermectina trabalha no vírus não seja conhecido, é provável que, com base na sua acção em outros vírus, funcione para impedir que o vírus ‘diminua’ a capacidade das células hospedeiras de o eliminar, disse Wagstaff.

Dr. Leon Caly, do hospital Royal Melbourne, cientista médico sénior no Laboratório de Referência de Doenças Infecciosas Vitorianas (VIDRL) do Instituto Doherty onde foram realizadas as experiências com o coronavírus vivo, é o primeiro autor do estudo.

“Como virologista que fez parte da equipe que isolou pela primeira vez o SARS-COV2 fora da China em Janeiro de 2020, estou entusiasmado com a perspectiva da Ivermectina ser usada como uma potencial droga contra a COVID-19”, disse Caly.

A Dra. Wagstaff fez uma descoberta sobre a ivermectina já 2012, quando identificou a droga e a sua actividade antiviral com o professor David Jans, do Instituto Monash BiomedicineDiscovery, também autor deste artigo.

A Drª. Wagstaff e o professor Jans começaram a investigar se a ivermectina funcionaria no vírus SARS-CoV-2, assim que foi conhecido que a pandemia tinha começado.

O uso da ivermectina no combate ao COVID-19 dependerá dos resultados de mais testes pré-clínicos e, por fim, de ensaios clínicos, sendo necessário financiamento urgentemente para continuar a progredir no trabalho, disse o Dr. Wagstaff.

Pode ler o artigo completo na Antiviral Research intitulado: The FDA-approved Drug Ivermectin inhibits the replication of SARS-CoV-2 in vitro

One comment on “Cientistas da Universidade Monash identificaram um possível fármaco para a COVID-19

  1. voza0db
    30 de Abril de 2020

    Engraçado pois eu próprio há uns anos atrás (7 de Junho de 2014) também sugeri que usassem um medicamento antiparasitário para tratar a infecção por “VIH”!

    Podes ver aqui a imagem do blogue que já não existe! CENSURA…

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 4 de Abril de 2020 by in Covid-19.

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: