A Arte da Omissao

ACORDEM

Morre John McCain, chefe de um ramo do serviço secreto dos “Cinco Olhos”

Nota: links dentro de «» e realces desta cor são da minha responsabilidade

Tradução do artigo Décès de John McCain, chef d’une branche du service secret des « Cinq yeux »

 

O senador John McCain morreu a 25 de Agosto de 2018, aos 81 anos de idade. A imprensa apresenta-no como um herói do Vietname”, um “homem de integridade” e “sem concessão” ao presidente Trump.

A acção deste “defensor da liberdade” no Vietname consistiu em bombardear civis, como piloto nos bombardeamentos norte-americanos. Em 1967, o avião que pilotava foi abatido por meios antiaéreos soviéticos quando bombardeava uma fábrica eléctrica. Filho de um almirante que se tornaria comandante-chefe do PaCom [1], foi feito prisioneiro de guerra por cinco anos e por muito tempo torturado.

Em 1982 foi eleito para a Câmara dos Representantes e, em 1986 para o Senado. Este homem supostamente honesto é um dos cinco senadores corrompidos pelo banqueiro e financiador Charles Keating (apelidados de “Keating Five“).

Nas primárias republicanas de 2000, enfrenta George Bush Jr. que não acredita no seu heroísmo no Vietname e o acusa de trair o seu país (ele havia assinado confissões sob tortura).

Em 2008 é candidato do Partido Republicano contra Barack Obama e enfrentou as revelações do New York Times de que empresas financiaram a sua campanha de 2000 como pagamento pelas suas posições como presidente da Comissão de Comércio.

As atitudes de McCain em matéria de política interna são difíceis de classificar. Ele apoiou a condenação criminal de mulheres que abortam, bem como a rejeição da tortura.

Desde 1993, John McCain acumulou a função de senador e presidente do IRI, organização destinada a corromper partidos políticos da direita em todo o mundo. O IRI é um dos principais pseudópodes do National Endowment for Democracy (serviço secreto comum dos “Five Eyes” da Austrália, Canadá, Estados Unidos, Nova Zelândia e Reino Unido [1]). Apesar da montagem legal complexa  deste sistema, trata-se de uma função executiva. Lá,  exerceu por 25 anos, violando o princípio da separação de poderes até o início do mês, quando foi substituído pelo seu amigo senador Dan Sullivan.

Como presidente do IRI, participou na organização de muitos golpes de Estado e apoiou todas as guerras norte americanas e do Reino Unido, sem excepção. Por exemplo, preparou o fracassado golpe de estado contra o presidente constitucional Hugo Chávez na Venezuela, a derrubada do presidente constitucional Jean-Bertrand Aristide no Haiti, a tentativa de derrubar o presidente constitucional Mwai Kibaki no Quénia e, mais recentemente, o Presidente constitucional ucraniano, Viktor Yanukovych.

Verdadeiro maestro da “Primavera Árabe”, lançou as guerras da Líbia e Síria numa reunião dos Serviços Secretos Aliados no Cairo, em Fevereiro de 2011. Depois foi para o Líbano para confiar o fornecimento militar de jihadistas na Síria ao deputado harirista Okab Sakr. Nessa ocasião, visita Ersal e decide instalar ali a base de retaguarda que os jihadistas usarão mais tarde contra a Síria.

Em maio de 2013, foi ilegalmente para o norte da Síria sob protecção israelita. Lá, encontra-se com vários líderes jihadistas, incluindo Mohammad Nour, que acabara de sequestrar 11 civis libaneses. E, na nossa opinião, ele também conhece Abu Bakr al-Baghdadi, o futuro califa do Daesh, algo negado pelo seu secretariado.

No entanto, um ano depois, como convidado do programa da Fox News de Sean Hannity, a 16 de Setembro de 2014, criticou um artigo que relatava a precariedade de um cessar-fogo entre jihadistas “moderados” e “extremistas”. De seguida, afirma conhecer bem a situação no solo sírio e, referindo-se à sua experiência no Vietname, defende a ideia de contar com todos os “rebeldes” para derrubar a República Árabe da Síria. Para fazer isso, revela  que se encontrou com líderes do Daesh e que esteve em contacto permanente com eles.

Com determinação e sem escrúpulos, ele terá participado da destruição de uma parte do mundo.

[1] « Les Cinq Yeux » ont été créés dans le cadre de la Charte de l’Atlantique, en 1941. Il s’agissait au départ uniquement d’une alliance en matière d’interceptions. Elle a été étendue en 1982 à « l’exportation de la démocratie » (sic).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 18 de Setembro de 2018 by in USA and tagged , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: