A Arte da Omissao

Salmão de viveiro da Noruega – Alimento mais tóxico do mundo

 

uma ampla investigação a nível mundial mostra os segredos da indústria do peixe. Cientistas confirmam, por exemplo, que o salmão de viveiro é o alimento mais tóxico do mundo. Na Noruega, Vietname ou Suécia, o peixe tornou-se numa indústria com enormes fábricas de alta tecnologia, onde são usadas toneladas de produtos químicos para alimentar milhões de peixes. Por exemplo, cerca de 50% do bacalhau nasce com deficiências genéticas

extensive research worldwide shows the fish industry secrets. Scientists confirm, for example, that  farmed salmon is the most toxic food world.In Norway, Sweden and Vietnam, the fish has become an industry with enormous high technology factories, where  are used tons of chemicals to feed millions of fish. For example, about 50% of cod born with genetic defects

É uma questão de saúde pública.

It is a matter of public health.

E não há regulador neste mundo que actue em defesa do consumidor

And there is no regulator in this world who acts in defense of the consumer

Documentário  com legendas em português

documentary in English

Salmonopoly – Outro documentário muito esclarecedor, “Salmonopoly“, foi realizado por Wilfried Huismann e Arno Schumann e leva-nos a outras paragens e a outros segredos deste “negócio”.

SalmonopolyAnother very enlightening documentary, held by Wilfried Huismann and Arno Schumann, leads us to other places and other secrets of the “business”.

Marine Harvest é a maior preocupação mundial no que diz respeito a aquicultura. Produz mais de 100 milhões de salmões de viveiro por ano e fornece os consumidores na Europa, EUA e Japão. Mas a que preço?

Marine Harvest is the world’s biggest aquaculture concern. It produces more than 100 million farmed salmon per year and provides consumers in Europe, USA and Japan. But at what price?

Este império global é dirigido por John Fredriksen, um “self-made man” e um dos mais ricos do mundo. Na sua casa norueguesa, autodenomina-se de “grande lobo”; “verde”, “duradouro” e “transparente”. Mas a realidade contradiz a filosofia da empresa, especialmente no Chile, onde a Marine Harvest é de longe o maior produtor, com cerca de 70 viveiros de peixe.  O Chile, com a sua legislação que deixa muito a desejar, é um paraíso para os investidores.

This global empire is run by John Fredriksen, a self-made man and one of the richest on Earth. In his norwegian home, calls himself  “Big Wolf”,  “green”, “enduring” and “transparent”. But the reality contradicts the corporate philosophy, particularly in Chile where Marine Harvest is by far the largest producer with some 70 fish farms. Chile, with its barely-there environmental legislation, is a paradise for investors.

Tudo o que é proibido aos produtores de salmão na Europa é permitido no Chile, tendo como resultado após 18 meses de criação, um salmão carregado de químicos. Em Abril de 2008, para melhorar a imagem da aquicultura intensiva de larga escala, Marine Harvest firmou uma parceria com a WWF. Com um donativo de 100.000 euros por ano, Marine Harvest pode usar o logótipo do panda da WWF, para fazer propaganda do seu salmão de viveiro produzido industrialmente.

Everything that is forbidden to salmon producers in Europe is allowed in Chile, with the result that after 18 months of rearing, the salmon are a chemically loaded product. In April 2008, in order to improve the intensive large-scale farming image, Marine Harvest entered into a partnership with the WWF. For a donation of € 100,000 per year, Marine Harvest may use the WWF’s panda logo to advertise its industrially produced farmed salmon.

Totalmente suspeito ecologicamente, mas muito bem-sucedido economicamente: após um colapso durante a crise financeira, as acções da companhia subiram 270 por cento no verão de 2009. John Fredriksen é o protagonista deste “eco-thriller” posicionado no mundo obscuro de um gigante alimentar global.

Utterly suspect ecologically, but very successful economically: after a collapse during the financial crisis, the company’s shares rose by 270% in the summer of 2009 alone. John Fredriksen is the main protagonist in this eco-thriller set in the murky world of a global foodstuff giant.

clique na imagem abaixo para ver o documentário em espanhol
indice
Salmonopoly in English

 

Anúncios

41 comments on “Salmão de viveiro da Noruega – Alimento mais tóxico do mundo

  1. voza0db
    12 de Setembro de 2016

    Boas 😉

    Ora… salmão de viveiro é tão bom!

    E se for OGM então ainda melhor!

    Resta-nos esperar que os salmões se suicidem todos.

    Gostar

  2. Rafael
    13 de Setembro de 2016

    Fiquei curioso…

    O nome do documentário é este: Salmonopoly.

    Fonte: http://www.rtp.pt/programa/tv/p32429

    Em foco, as práticas da aquicultura industrial da empresa Marine Harvest.

    Marine Harvest é a maior preocupação mundial no que diz respeito a aquicultura. Produz mais de 100 milhões de salmão de viveiro por ano e fornece os consumidores na Europa, EUA e Japão. Mas a que preço?
    Este império global é dirigido por John Fredriksen, um self-made man e um dos mais ricos do mundo. Na sua casa norueguesa, autodenomina-se de “Big Wolf”; “verde”, “duradouro” e “transparente”. Mas a realidade contradiz a filosofia da empresa, especialmente no Chile, onde Marine Harvest é de longe o maior produtor, com cerca de 70 viveiros de peixe. O Chile, com a sua legislação que deixa a desejar, é um paraíso para os investidores. Tudo o que é proibido aos produtores de salmão na Europa é permitido no Chile, tendo como resultado 18 meses depois, um salmão carregado de químicos. Em abril de 2008, para melhorar a imagem da aquicultura intensiva em larga escala, Marine Harvest firmou uma parceria com a WWF. Por um donativo de 100.000 euros por ano, Marine Harvest pode usar o panda do logótipo da WWF para fazer propaganda do seu salmão de viveiro produzido industrialmente. Totalmente suspeito ecologicamente, mas muito bem sucedido economicamente: após o colapso durante a crise financeira, as ações da companhia subiram 270 por cento no verão de 2009. John Fredriksen é o principal protagonista deste “eco-thriller” posicionado no mundo obscuro de um gigante alimentar global.

    Gostar

  3. Luis Felgueiras Rodrigues
    29 de Setembro de 2016

    porque é que não dá para imprimir ? é esquisito não è ?????

    Gostar

  4. EMIDIO DE PIRES
    2 de Outubro de 2016

    NAO EXISTE DEFESA DO COMSUMIDOR OU DO TRABALHADOR OU DE NADA SOMOS TODOS ESCRAVOS DO COPITALISMO GOVERNOS E SISTEMAS CORRUPTOS LAMENTAVELMENTE ASIM O MONDO EM QUE VIVEMOS

    Liked by 1 person

    • urantiapt
      2 de Outubro de 2016

      Sim é verdade, mas eu acho que podemos fazer sempre alguma coisa. Para mim é simples. Não comer salmão. Aliás, nós consumidores temos muito poder. É só preciso que tenhamos consciência disso e queiramos realmente impulsionar alguma mudança

      Liked by 1 person

      • Virginia Magioli Rodrigues
        4 de Outubro de 2016

        podemos comer salmão,,sim,,,nas etiquetas vem descriminado quais são os de aquicultura e os pescados no oceano,,tanto no fresco, como no congelado, que algumas embalagens até vem escrito ‘salmão’ selvagem,,são é mais cros, claro! mas não mto e compensa pela nossa saúde!

        Gostar

      • urantiapt
        4 de Outubro de 2016

        Sim ainda temos essa hipótese.Cada vez mais, como consumidores, temos que saber interpretar as rotulagens.

        Gostar

      • GM
        6 de Outubro de 2016

        E podes substituir o salmão por frango ou porco, que são produzidos exactamente da mesma forma, em fábricas, aos milhões e sempre com antibióticos, ou ainda não viste os vídeos tb? Todo o que comemos é produzido da mesma forma…

        Gostar

      • urantiapt
        6 de Outubro de 2016

        Efectivamente já vi. E quando vi por exemplo Food, Inc fiz uma mudança radical na minha vida. Sondei na minha zona de residências, pequenos agricultores com criação e com excedentes. Felizmente encontrei vários. Não alimento a cadeia de hipermercados. E esses pequenos agricultores encontram-se tb em praças, não em bancadas alugadas, mas cá fora com uns cestos. Outra mudança radical é que na minha mesa entram produtos da época (legumes e frutas). A natureza é sábia.
        Por alguma coisa a EU AINDA não autoriza a importação de carne processada dos EUA.

        Gostar

      • Sérgio C. Quintino
        21 de Janeiro de 2017

        Sim, concordo com você, plenamente. Mas, tem que ter união entre um grupo de pessoas, ou entre os povos. uma andorinha não faz verão. Isso serve para qualquer luta ou conquista de qualquer natureza. O Povo é muito desunido, não sabe, e, nem conhece a força que tem, quando unidos. Por isso, paga o preço, são pobres e manipulados pelos poderosos, de diversas maneiras (pela mídia, pelos jornais e tele-jornais, pelos rádios e televisão , pelas revistas e etc. “Somos escravos dos poderosos”, querendo ou não somos escravos. Em pleno século 21, parece que não, mas continuamos sendo escravos As pessoas só vão perceberem isso, se estudar a VIDA, bem profundamente, sem pré-conceito (tirando, jogando fora, todos os conceitos mundanos; não julgue, sem julgamento dos homens, e das religiões); estude, e perceba você, com seus sentimentos, com sua percepção e observações. Somos seres colonizados por EXTRATERRESTRES, resultado de uma experiência genética… Vá enfrente estude, é científico, pesquise está nas maiores biblioteca do mundo. Os grandes homens da terra sabem disso. Gostaria de falar mais, mas o que sei,assustará vocês com muita informação em pouco tempo. essas informações tem que ser diluído, amadurecido. um grande abraço

        Gostar

  5. Fátima Silva
    2 de Outubro de 2016

    Mesmo sendo exposto as pessoas nao querem saber, se quisessem nao comeriam ….sociedade ignorante diria mesmo futil vê se pelo comportamento dos jovens quando falei sobre este assunto ao meu filho com vinte anos ele simplesmente disse: eu continuo a comer ….dou os meus sinceros parabens a quem publicou este assunto tao sério e inquietante para esses homens e mulheres corajosas deixo um pensamento consolador podem estar certos de que alguém os observa e vos dará a reconpensa essa pessoa com um corpo invisivel e espiritual vos abencoará e aos gananciosos destruirá…tenham fé……

    Gostar

    • urantiapt
      2 de Outubro de 2016

      Quando me consciencializei que o mundo não é o que me apresentam pela tv, jornais e afins, também tive essa árdua tarefa junto da família.
      Inicialmente olharam-me como se fosse de outro planeta. Mas não desisti. Comecei a distribuir dvs’d com vários documentos e sobre vários assunto, fazendo questão de os ver juntamente com meus familiares. Com o tempo consegui passar a mensagem e ela foi assimilada.

      Gostar

  6. Josefina Carvalho
    3 de Outubro de 2016

    Já sabia disto há muito tempo e foi um médico brasileiro que me avisou Realmente deixei de comer com muita pena porque gostava mas ele assustou-me

    Gostar

  7. federico
    3 de Outubro de 2016

    Salmão norueguês com coca-cola…meudeus que doidera

    Gostar

  8. Helder Cabrita
    3 de Outubro de 2016

    Above all when you see Green Peace involved a red flag come on. Greenpeace is a environmentalist group who opposes many industries such the use of nuclear power basically a radical group on the left.
    First the documentary is one sided especially for Salmon. Second you can’t paint all everybody with same brush. 3rd Salmon production is under control from FDA and other countries entities where the producer has to prove and guarantee that fish is feed correctly and step by step. 4th Fraud is a problem like substitute of species and sell them for a higher price is a big problem.
    This article is good for people who are ignorant on the issue with the purpose of alarming scaring the hell out of you.

    Gostar

  9. Helder Cabrita
    3 de Outubro de 2016

    Also the meat industry must be funding this or supporting it

    Gostar

  10. Marta
    3 de Outubro de 2016

    Que pena adoro Salmão. A partir de agora não como
    mais.

    Gostar

    • João Grof
      4 de Outubro de 2016

      Procure sempre salmão selvagem vindo de dois lugares: Escócia e Alaska. Mas sempre selvagem. São os únicos que ainda prestam.

      Gostar

  11. Juliano
    4 de Outubro de 2016

    Um pouco sensacionalista. Algas informações são inverídicas, outras são suposições.
    Trabalho com piscicultura no Brasil a 14 anos, incluindo Trutas.

    Gostar

    • Roque juniorr
      5 de Outubro de 2016

      Se vc trabalha o seu maior interesse, e esconder qualquer coisa que ponha em risco seu negócio se for parecido ..
      LP

      Gostar

      • urantiapt
        5 de Outubro de 2016

        Recuso-me a normalizar essa atitude. Tem de haver barreiras éticas de condutas, porque qualquer cidadão é candidato a ser uma vítima dela.

        Lucro sim, crime não.

        Gostar

  12. Jose Dias
    5 de Outubro de 2016

    Eu não gosto de salmão, só de salmos.

    Gostar

  13. Andre
    5 de Outubro de 2016

    Salmão é desastre ecológico também no sul do Chile…

    Gostar

  14. Lúcio José Patrocínio Filho
    5 de Outubro de 2016

    Não é só o salmão. Estamos contaminando o mundo inteiro, água, terra e ar.

    Gostar

  15. isabel.veiga.mendonca@gmail.com
    6 de Outubro de 2016

    vi este decumentario que deu no 1 canal quase as 3 da manha fiquei horrorizada afinal o que estamos a comer o que estamos a dar as nossas crianças para se alimentarem que opçoes temos quem deveria ter no mundo responsabilidades sobre tudo isto…………..

    Gostar

    • urantiapt
      6 de Outubro de 2016

      Tal como já foi comentado, e se gosta realmente de salmão, esteja atenta aos que é dito nas caixas. Salmão ( e outros peixes) de aquacultura recuse. Nos outros peixes não é publico que alimentos / remédios / químicos usam.

      Se na caixa disser “pescados no oceano” até ver não há nada contra. Mas mesmo este não se deve abusar, pois os mares estão tb contaminados

      Gostar

  16. henriwp
    21 de Outubro de 2016

    Republicou isto em Henri Augusto Bisognini.

    Gostar

  17. Mike
    25 de Outubro de 2016

    Possible to get the text in enligh and the documentary with english subtitles?

    Gostar

    • urantiapt
      25 de Outubro de 2016

      Done, but the films are spoken in English. I did not find with subtitles in English

      Gostar

  18. Pingback: Salmão de viveiro da Noruega – Alimento mais tóxico do mundo | A Arte da Omissao | Tudo Sobre Criação de Peixes

  19. Pingback: Salmão de viveiro da Noruega | Tudo Sobre Criação de Peixes

  20. roberto plínio colacioppo
    11 de Março de 2017

    não acredito
    já estaríamos todos mortos
    não é inveja ?
    será que êles não tem controle de qualidade?
    não se preocuparam em exibir seu laboratório
    deixa prá lá

    Gostar

  21. Pingback: Salmão de viveiro da Noruega – Alimento mais tóxico do mundo — A Arte da Omissao – Guilherme augusto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 12 de Setembro de 2016 by in Saúde and tagged , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: