A Arte da Omissao

ACORDEM

Eva Bartlett: Aylan e Omran: vítimas infantis usadas pela propaganda na guerra síria

Eva Bartlett é jornalista freelancer e activista de direitos humanos com ampla experiência na Faixa de Gaza e na Síria. Seus artigos podem ser encontrados no seu blog, «In Gaza».

Meet Aylan & Omran: Child victims used for Syrian war propaganda

Em Setembro de 2015, foi encontrado um menino numa praia na Turquia. As fotos do corpo sem vida de Aylan Kurdi foram rapidamente espalhadas pelos meios de comunicação, da mesma forma que a foto de Omran Daqneesh dentro de uma ambulância seria também disseminada.

Foram lançadas acusações de responsabilidade ao governo sírio, e líderes de nações ocidentais aumentaram  a sua retórica com a necessidade de intervenção. Enquanto isso, os media corporativos e  líderes ocidentais continuaram o silêncio sobre os assassinatos, decapitações, sequestros  de crianças e adultos na Síria por mercenários armados e zelotes que o Ocidente chama de “moderados“.

Em Fevereiro de 2017, Tima Kurdi, a tia de Aylan entrou em contacto com Tulsi Gabbard, congressista dos Estados Unidos, e depois publicamente que apoiava a mensagem de Gabbard para se parar de armar terroristas, para terminar o apoio à mudança de regime. Se o Ocidente continuar a financiar os rebeldes, veremos mais pessoas a fugirem, mais derramamento de sangue e mais sofrimento. O meu povo sofreu pelo menos seis anos. Não se trata de apoiar Bashar. Trata-se de acabar com a guerra na Síria.

Menino na história da ambulância: então e agora

A história oficial de Omran Daqneesh incomodou-me desde o momento em que os media ocidentais, espirraram em coro, a 18 de Agosto de 2016,  a mesma foto nas suas páginas, televisões e sites, enquanto citavam a culpa da Rússia e da Síria num alegado ataque à casa da família Daqneesh na noite anterior.

(devido ao facto do vídeo acima não estar com legendas, apresento em baixo dois com legendas em inglês, e que poderão ajudar um pouco a entender a mensagem do pai de Omran – Ndt)

A história incomodou-me, mas não pelo mesmo motivo que incomodou tantos outros ao redor do mundo. Sim, a visão de uma criança ferida ou de um adulto ferido solta o sentimento de empatia e compaixão de um ser humano. Mas a própria história parecia encenada, e o evento – verdadeiro ou não –  totalmente explorado para promover a agenda ocidental para derrubar o governo na Síria.

Quando a foto foi mostrada pela primeira vez, muitos cépticos assumiram ter sido encenada com maquilhagem e com os efeitos que os Capacetes Brancos já usaram noutros vídeos, como neste, reconhecidamente encenado. Eu mesmo duvidava da veracidade do vídeo e da foto. Os motivos para essa dúvida foram muitos: os Capacetes Brancos e seus co-promulgadores de propaganda, o Aleppo Media Center (AMC), são ambos fortemente financiados pelo Ocidente e têm alianças com a Al Qaeda, mas de alguma forma isso não é suposto prejudicar a sua credibilidade. O fotógrafo da foto divulgada em todo o mundo tinha relações estreitas com terroristas conhecidos. Mas de alguma forma isso não deveria ser um ponto relevante. 

A 6 de Junho de 2017, tive a oportunidade de conhecer pessoalmente Omran e falar com seu pai, Mohammad Daqneesh, sobre a exploração do seu filho. Daqneesh enfatizou repetidamente que ele e o seu filho foram apenas levemente feridos. Infelizmente, um dos outros filhos, Ali, de 11 anos, morreu alguns dias após o evento de 17 de Agosto devido a lesões sofridas pela queda de entulho. Ele estava fora do pequeno prédio de apartamentos quando a explosão – que Daqneesh não conseguiu identificar – ocorreu.

O que emergiu do encontro com Daqneesh foi que a história que o mundo dos media corporativas havia contado desde Agosto de 2016 não era verdade. Na época, eles acusaram os aviões de guerra russos ou sírios de atacar o prédio em que vivia a família de Omran. Ambos os governos negaram os ataques aéreos na área em questão, al-Qaterji, Alepo oriental. Pelo contrário, de acordo com o que Ministério da Defesa da Rússia informou, havia dois corredores humanitários adjacentes a Qaterji e que os oficiais do centro de coordenação da Rússia “assinalam incidentes diários nas ruas e casas próximas dos corredores humanitários que são bombardeadas por terroristas com vários lançadores de foguete auto-fabricados e armas de artilharia “.

O próprio Sr. Daqneesh contou-me que nessa noite não ouviu nenhum avião de guerra, e quando perseguido por elementos de apoio ao terrorismo para dizer que tinha sido um ataque aéreo, ele desafiou-os a mostrar-lhe os restos da alegada munição aérea. Ele disse ter recusado.

Depois que a foto agora famosa de Omran na ambulância ter sido tirada, Daqneesh disse que recusou-se a permitir que eles tirassem fotos adicionais do seu filho. Eu proibi-os de tirarem outras fotos. Eu proibi-os porque então eu estava com ele – quando eles tiraram a primeira foto eu ainda estava dentro de nossa casa. Do hospital M-10, onde a sua família tinha sido levada durante o período da cena de resgate dos Capacetes Brancos, Daqneesh disse: Peguei neles e fomos embora. Nem a minha ferida leve foi lá tratada, fui a uma enfermeira fora do hospital, porque eu não confiava neles.

Daqneesh foi mais tarde pressionado para corroborar a narrativa terrorista (ocidental) de um ataque aéreo russo ou sírio ao prédio. Eu estava sob pressão para fazer uma declaração e falar, mas recusei, porque não vou testemunhar algo que não vi com os meus próprios olhos,

A família voltou a viver na casa inicial da qual tinham fugido, nos anos anteriores quando os terroristas entraram na área. Agora que Aleppo está totalmente liberada, mais famílias voltaram para as suas casas, das quais fugiram devido à presença da al-Qaeda e de outras facções. Muitos outros terão que iniciar o processo de reconstrução.

Dois dias após o evento de 17 de Agosto de 2016, John McCain, senador dos EUA, juntou-se ao coro dos media, acrescentando o seu próprio talento dramático: O que é tão perturbador nessa imagem é que ela retrata uma atrocidade comum. Nos últimos anos, 4.500 crianças foram mortas apenas na cidade de Aleppo, brutalmente atacada e bombardeada pelas forças do regime russo e sírio. … As imagens da carnificina na Síria devem fazer mais do que inspirar choque e indignação. Elas devem obrigar-nos a agir porque, se não o fizerem, os destinos de milhões de pequenos Omrans e pequenos Aylans serão selados …

Isto saiu do mesmo homem que entrou ilegalmente na Síria via Turquia em 2013. Foi reportado ter “tirado fotos com líderes terroristas e alguns dos comandantes mais sanguinários da invasão”.

O mesmo homem que publicamente se gabou de conhecer terroristas na Síria, ao dizer:Rand Paul já esteve na Síria? Ele já conheceu o ISIS? Ele já conheceu alguma dessas pessoas? … Eu conheço essas pessoas. Estou em contacto com eles o tempo todo e ele não está “.

Dos principais ofensores da propaganda grosseira em torno da história de Omran, está Christiane Amanpour da CNN, que foi acusada no passado por distorções na Síria.

Numa reunião a 8 de Junho, Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, disse: Como se viu, Omran está vivo e bem. Na verdade, ele ficou ferido, mas todo o caso foi completamente distorcido pelos pseudo defensores dos direitos e pelos jornalistas, incluindo Christiane Amanpour. Ela simplesmente manipulou a opinião pública … Desde que Christiane Amanpour começou com a história no domínio público, veio a Moscovo, fez impressões a cores dessa foto e mostrou-a a Sergey Lavrov, talvez ela tenha coragem suficiente e ética profissional como jornalista, e simplesmente consciência humana para a terminar? Talvez ela vá à Síria, a Alepo, encontre a família do menino e faça uma entrevista realmente honesta. Não uma falsa, algo do qual a CNN é famosa, mas uma entrevista realmente honesta “.

Concordo. Vá a Amanpour, vá a Alepo e conheça Omran e a sua família. Eu fiz isso.

Vídeos relacionados:

Registos da conferência de imprensa nas Nações Unidas, contra a propaganda e a mudança de regime, pela paz e pela soberania nacional da Síria, a 9 de Dezembro de 2016

 

 

activem as legendas em inglês para ajudar

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 29 de Novembro de 2017 by in desinformação e mentiras, Jornalismo, Síria and tagged , , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: