A Arte da Omissao

ACORDEM

Investigação dos Arquivos FinCEN: perguntas

Nota: links dentro de «» e realces desta cor são da minha responsabilidade

 

O que é a investigação dos Arquivos FinCEN?

O que é um SAR? É como os Panama Papers? Por que devo preocupar-me com os arquivos FinCEN? As perguntas mais frequentes sobre esta investigação:

Os arquivos FinCEN é uma investigação internacional baseada em documentos secretos que expõe como os bancos e reguladores falharam com o público ao permitir que o dinheiro sujo fluísse sem controlo ao redor do mundo. Mostra como políticos, vigaristas e magnatas – do Benin à Venezuela e ao Turquemenistãolucram às custas dos governos e pessoas comuns.

Quem trabalhou na investigação dos Arquivos FinCEN?

«ICIJ», BuzzFeed News e 108 outros parceiros em 88 países passaram 16 meses a organizar e a analisar documentos expostos, obtendo centenas de outros documentos confidenciais, registos judiciais, arquivos, registos públicos e entrevistas.

Os arquivos FinCEN são baseados num vazamento?

Sim. O Buzzfeed News partilhou com o ICIJ mais de 2.100 relatórios de actividades suspeitas, ou SAR, arquivados por bancos globais e enviados para a unidade de inteligência do Departamento do Tesouro dos EUA, a Financial Crimes Enforcement Network, conhecida como FinCEN. BuzzFeed News não comentou sobre a sua fonte. O Congresso dos EUA solicitou alguns dos arquivos como parte da investigação sobre a interferência russa nas eleições de 2016.

Foi nomeado um denunciante?

Em Janeiro de 2020, uma ex-funcionária do Departamento do Tesouro dos EUA, Natalie Mayflower Sours Edwards, da Virgínia, confessou-se culpada de divulgar ilegalmente documentos confidenciais do Tesouro.

O que é um SAR?

Um suspicious activity report (relatório de actividade suspeita – Ndt) é um documento apresentado às autoridades dos EUA quando um banco ou outra instituição financeira observa uma transacção que parece suspeita. Um SAR não é uma acusação, mas uma forma de alertar os reguladores do governo e autoridades policiais sobre actividades irregulares ou possivelmente criminosas. Os SAR são estritamente confidenciais – tão secretos que os bancos não têm permissão para confirmar publicamente a sua existência.

Que outros documentos foram usados para os arquivos FinCEN?

A investigação dos Arquivos FinCEN envolve milhares de outros documentos confidenciais obtidos e partilhados com o ICIJ por repórteres do BuzzFeed News, L’Espresso e Quinto Elemento Lab / CONNECTAS. Os repórteres também passaram meses a reunir arquivos de fontes internas, procuradores e advogados, testemunhas e vítimas e registos públicos de agências governamentais.

O que revelou a investigação?

Durante 18 anos, os bancos movimentaram mais de US $ 2 triliões em pagamentos que acreditavam serem suspeitos. De acordo com os documentos vazados, alguns dos maiores bancos, incluindo JPMorgan Chase, HSBC, Barclays Bank, Standard Chartered Bank, Deutsche Bank e Bank of New York Mellon, continuaram a navegar em pagamentos suspeitos, incluindo aqueles que disseram ter marcas de fraude, apesar das promessas às autoridades governamentais em melhorar os controlos de lavagem de dinheiro.

Porque devo preocupar-me com os arquivos FinCEN?

Porque o fluxo livre de dinheiro ilícito causa danos incalculáveis. Alimenta cartéis de drogas e empresas criminosas. Ajuda oligarcas e autocratas a aumentar as suas fortunas e poder. Ele exacerba a desigualdade global, permite a evasão fiscal e prejudica as democracias.

Há alguma relação com outras investigações do ICIJ, como Luanda Leaks ou Panama Papers?

Absolutamente. O JPMorgan Chase, por exemplo, apresentou um relatório de actividade suspeita sobre transacções relacionadas com Sindika Dokolo, o marido da bilionária angolana Isabel dos Santos, de quem fizemos o perfil em Luanda Leaks. E uma análise do ICIJ mostrou que os bancos nos Arquivos FinCEN processavam transacções para empresas registadas nas chamadas jurisdições de sigilo e faziam-no sem conhecer o proprietário final da conta.

Posso ler os documentos?

Publicamos alguns dos SAR na página DocumentCloud do ICIJ.

Que documentos são públicos e porquê?

O ICIJ e seus parceiros não estão a publicar em massa os relatórios vazados, mas sim, revisaram diligentemente os materiais e concentraram as suas reportagens nas histórias de maior impacto público. A publicação dos documentos ajuda a tornar um sistema opaco mais transparente, permite que os leitores entendam melhor as histórias e também dá às pessoas uma visão única de como as coisas funcionam, muitas vezes escondidas.

Onde posso ler relatos dos arquivos FinCEN?

Provavelmente vai querer começar com relatos do seu próprio país. Mas não se esqueça, como em todos os projectos do ICIJ, que existem outras histórias da África, Oriente Médio, América Latina, Europa e Ásia. Veja uma lista de nossos parceiros aqui.

Tem ainda questões a colocar?

Escreva-nos para o endereço social@icij.org

Tem documentos que acha que o ICIJ deveria ver?

Partilhe-as de forma segura e confidencial com o ICIJ aqui.

 

Investigação dos Arquivos FinCEN:bancos globais desafiam as repressões dos EUA ao servirem oligarcas, criminosos e terroristas- 1

Investigação dos Arquivos FinCEN: bancos globais desafiam as repressões dos EUA ao servirem oligarcas, criminosos e terroristas-2

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 21 de Setembro de 2020 by in Arquivos FinCEN and tagged .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: