A Arte da Omissao

John McCain admitiu seu contacto regular com Estado Islâmico

John McCain admitted he is regular contact with Islamic State

| 20 de Novembro 2014

Vários meios de comunicação, especialmente nos Estados Unidos e França, contestaram fortemente o artigo de Thierry Meyssan, sobre a relação entre John McCain e o Estado Islâmico (“Daesh”) [1]. Todos alegaram ter identificado, e, por vezes, até conhecer bem a pessoa que aparece na fotografia da reunião entre o senador com o Estado-Maior do E.S.L. (Exercito livre sírio ou Daesh –N. do T.) em Maio de 2013, de modo a poderem refutar tratar-se do Califa Ibrahim.

Não vamos discutir os artigos publicados pelos nossos colegas que não são verificáveis. Vamos simplesmente apontar que cada um deles identificou o interlocutor de John McCain, e todos com grandes certezas.

Além disso, esta controvérsia é agora obsoleta, uma vez que o único objetivo era determinar, se John McCain se tinha reunido com os líderes de grupos classificados como “terroristas” pelas Nações Unidas e pelo seu próprio país, onde se incluem os líderes do Daesh, duvida essa que foi esclarecida pelo próprio.

Para começar, reproduzimos a entrevista da Fox News a John McCain, conduzida por Greta Van Susteren, onde ele afirma:

«Hillary Clinton já descreveu a reunião na Casa Branca há 2 anos, todos na equipe de Segurança Nacional recomendavam armar o estado Islâmico, o presidente opôs-se a isso, da mesma forma como decidiu não atacar a Síria, depois de ter dito que esta tinha ultrapassado a linha vermelha “.

Segue-se um excerto da entrevista que John McCain deu no Show de Sean Hannity, também na Fox News, a 16 de Setembro de 2014, onde manifestou não concordar com o plano do presidente Obama contra o Estado islâmico. O conteúdo fecha o debate uma vez que o próprio senador admite conhecer os líderes do Estado Islâmico.

No início da entrevista, ele criticou um artigo sobre a precaridade do cessar-fogo entre grupos “moderados” e grupos “extremistas”. Depois, afirma estar familiarizado com a situação no terreno, referindo-se à sua experiência no Vietname, defende a ideia de contar com todos os “rebeldes” para derrubar a República Árabe da Síria. Para o fazer, ele revela ter–se reunido com os líderes da Daesh (ao contrário Rand Paul), e de estar em contacto permanente com eles.

Ambas as entrevistas foram gravadas depois do ataque do Estado islâmico ao Iraque e da limpeza étnica e  massacres que o acompanharam, mas antes da decapitação dos cidadãos norte-americanos.

isla390-2-342d4

 

1] “John McCain, Conductor of the “Arab Spring” and the Caliph ”, by Thierry Meyssan, Voltaire Network, 18 August 2014.  Tradução em John McCain, maestro da «primavera árabe» e do Califa

Anúncios

2 comments on “John McCain admitiu seu contacto regular com Estado Islâmico

  1. Maria Celeste Ramos
    12 de Dezembro de 2014

    Tanta porcaria desta gente

    Gostar

  2. Pingback: O grande cordão da falácia | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 25 de Novembro de 2014 by in A arte da Guerra, Afinal Quem é Terrorista?, DIANTE DOS NOSSOS OLHOS, GEOPOLÍTICA MUNDIAL, Síria, USA and tagged , , .

Navegação

Categorias

Faça perguntas aos membros do Parlamento Europeu sobre o acordo de comércio livre, planeado entre a UE e o Canadá (CETA). Vamos remover o secretismo em relação ao CETA e trazer a discussão para a esfera pública!

%d bloggers like this: