A Arte da Omissao

ACORDEM

John McCain admitiu seu contacto regular com Estado Islâmico

John McCain admitted he is regular contact with Islamic State

| 20 de Novembro 2014

Nota do tradutor: links indicados dentro de « » realces desta cor, são da minha responsabilidade

Vários meios de comunicação, especialmente nos dos Estados Unidos e França, contestaram fortemente o artigo de Thierry Meyssan, sobre a relação entre John McCain e o Estado Islâmico (“Daesh”) [1]. Todos alegaram ter identificado, e por vezes, até conhecer bem a pessoa que aparece na fotografia da reunião entre o senador com o Estado-Maior do E.S.L. (Exercito livre sírio ou Daesh – N. do T.) em Maio de 2013, de modo a poderem refutar tratar-se do Califa Ibrahim.

Não vamos discutir os artigos publicados pelos nossos colegas que não são verificáveis. Vamos simplesmente apontar que cada um deles identificou o interlocutor de John McCain, e todos com grandes certezas.

Além disso, agora esta controvérsia é obsoleta, uma vez que o único objectivo era determinar se John McCain se tinha reunido com os líderes de grupos classificados como “terroristas” pelas Nações Unidas e pelo seu próprio país, onde se incluem os líderes do Daesh, duvida essa esclarecida agora pelo próprio.

Para começar, reproduzimos a entrevista da Fox News a John McCain, conduzida por Greta Van Susteren, onde ele afirma:

«Hillary Clinton já descreveu há dois anos na Casa Branca essa reunião, todos os da equipa da Segurança Nacional recomendavam armar o estado Islâmico, o presidente opôs-se a isso, da mesma forma como decidiu não atacar a Síria, depois de ter dito que esta tinha ultrapassado a linha vermelha “.

Segue-se um excerto da entrevista que John McCain deu no Show de Sean Hannity, também na Fox News, a 16 de Setembro de 2014, onde manifestou não concordar com o plano do presidente Obama contra o Estado islâmico. O conteúdo fecha o debate uma vez que o próprio senador admite conhecer os líderes do Estado Islâmico.

 

No início da entrevista, ele criticou um artigo sobre a precaridade do cessar-fogo entre grupos “moderados” e grupos “extremistas”. Depois, afirma estar familiarizado com a situação no terreno, referindo-se à sua experiência no Vietname, defende a ideia de contar com todos os “rebeldes” para derrubar a República Árabe da Síria. Para o fazer, ele revela ter reunido com os líderes da Daesh (ao contrário de Rand Paul), e de estar em contacto permanente com eles.

 

As duas entrevistas foram gravadas depois do ataque do Estado islâmico ao Iraque e da limpeza étnica e  massacres que o acompanharam, mas antes da decapitação dos cidadãos norte-americanos.

isla390-2-342d4

 

1] “John McCain, Conductor of the “Arab Spring” and the Caliph ”, by Thierry Meyssan, Voltaire Network, 18 August 2014.  Tradução em John McCain, maestro da «primavera árabe» e do Califa

2 comments on “John McCain admitiu seu contacto regular com Estado Islâmico

  1. Maria Celeste Ramos
    12 de Dezembro de 2014

    Tanta porcaria desta gente

    Gostar

  2. Pingback: O grande cordão da falácia | A Arte da Omissao

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

This entry was posted on 25 de Novembro de 2014 by in Síria, USA and tagged , , .

Navegação

Categorias

Follow A Arte da Omissao on WordPress.com
%d bloggers like this: